A água é indispensável para a vida de um ser humano. Mas nós estamos sem esse recurso aqui na nossa comunidade”

A falta de água potável, posto de saúde, um mercado entre outras infrastruturas, inquientam a população residente na comunidade do Gil, posto administrativo de Namaita, distrito de Rapale.

Os residentes daquela comunidade, contam que para ter acesso a esses serviços são obrigados a percorrer vinte a trinta quilómetros, e isso deixa a desejar as mães grávidas e outras com bebe no colo.

De acordo com os nossos entrevistados, há uma equipa que escalou várias vezes naquela comunidade prometendo água, o que nunca  aconteceu.

“A água é indispensável para a vida de um ser humano. Mas nós estamos sem esse recurso aqui na nossa comunidade” -lamenta a população do Gil que se sente abandonada pelo governo.

“Não temos pelo menos um Agente Polivalente Elementar para assistir as mulheres grávidas e outras doenças nesta zona e há pessoas que morrem a caminho de uma unidade sanitária que fica distante” – disse uma mãe.

Por. Felismino Leonardo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *