A Barragem que abastece água à cidade de Nampula está a ficar vazia

Por Elísio João

O Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água – FIPAG vai reduzir o nível de abastecimento na cidade de Nampula, dos 40 para 20 Metros cúbicos por dia.

O Director do FIPAG área operacional de Nampula, Inácio Inácio, disse esta terça-feira em conferência de imprensa que para permitir a disponibilização da água aos munícipes, o abastecimento será restrito, para além do recurso de dois camiões cisternas já existentes, para fornecer água nas zonas mais críticas e que não tem a cobertura da rede do FIPAG.

2O abastecimento não vai ser de forma normal como é habitual de Janeiro a Outubro. Isto significa que a distribuição será feita por via de restrições, sendo um dia para um bairro e outro dia para um outro” – explicou Inácio que disse estar neste momento em elaboração um plano de distribuição de água nos bairros, a ser tornado público brevemente.

Como alternativa, o Director do FIPAG em Nampula falou de um campo com dez furos na zona de Namiteca que terá a capacidade de produzir 5 mil metros cúbicos de água por dia e abastecer 70 mil habitantes.

“Paralelamente a este de Namiteca, também temos outro projecto em Muatala, onde existem 6 furos em fase de ensaio, com capacidade de produzirmos 900 metros cúbicos por dia, o que poderá corrigir o problema de água na zona de Mutauanha, abastecendo cerca de 12 mil habitantes” – sossegou o Director do FIPAG, que apontou a zona de Mutauanha como uma das mais críticas neste período e que regista muitas doenças de origem hídrica, devido ao consumo de água imprópria.

Entretanto, o Director Regional das Águas Centro e Norte, Carlitos Omar disse que a barragem de Nampula encontra-se numa situação de nível baixo de armazenamento devido ao fraco encaixe de água em 2019 para 2020, período em que houve pouca chuva.

Outro factor apontado por Carlitos Omar é o estado obsoleto da infra-estrutura, que tem mais de 60 anos de existência, que também é pequena com capacidade de 3.8 mil milhões de metros cúbicos.

“Essa capacidade não responde a demanda cada vez mais crescente da população da cidade de Nampula”– Justificou Carlitos Omar sustentando que actualmente seriam necessários cerca de 14 mil milhões de metros cúbicos para abastecer eficazmente os mais de 700 mil habitantes.

Como soluções a médio e curto prazo, o Director da ARA-Centro Norte disse que conta com a barragem de Mugica que se encontra a mais de 110 quilómetros da cidade de Nampula com uma capacidade de reter 55 milhões de metros cúbicos e que neste momento tem 38 mil milhões de metros cúbicos de água.

“É uma Infra-estrutura privada, na qual podemos tirar água de lá e abastecer a cidade de Nampula” – disse para depois falar de outra solução a médio e longo prazo que será a barragem do rio Melulie outras duas a serem construídas no distrito de Rapale.

As previsões climáticas indicam que a Província de Nampula poderá registar chuvas normais de Outubro a Dezembro e acima do normal entre Janeiro a Marco do próximo ano, esperando-se que a Barragem de Nampula possa encaixar mais água.

O Director Regional das Aguas Centro Norte garantiu que apesar das restrições, na cidade de Nampula não haverá escassez de agua, tendo pedido aos munícipes para não se alarmarem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *