A Gestão da terra deve ser sustentável para as comunidades

Por: Malito João

Por uma justiça preventiva e restaurativa, teve lugar ontem, quinta-feira, na cidade de Nampula um seminário sobre desenvolvimento rural da política de terra.

O seminário foi promovido pelo observatório do direito humano e de legalidade no âmbito da sua parceria com ajuda popular da Noruega (APN) para auscultação e desenvolvimento rural de política da terra.

ODHL está preocupado com operacionalização dos pontos conceptuais do processo da auscultação pública, para a revisão da política Nacional de terra. A ODHL lançou uma série de seminários provinciais, como espaço de reflexão económico, jurídico-legal, sócio antropológico e políticas necessárias para cobrir os desafios colocados para a nova política nacional de terras.

Participaram no seminário membros da sociedade civil, e alguns docentes de diversas universidades da cidade de Nampula.

“Para que a terra seja produtiva é necessário que seja feito algo concreto por parte das autoridades competentes” disse António Muagerene.

Por outro lado Maria Teresa Valente, docente da universidade Politécnica de Nampula em representação do conselho empresarial disse que o encontro foi muito importante porque a política de terras deve se basear na realidade actual, tendo acrescentado que a gestão de terra deve ser sustentável para as comunidades que vivem na base da agricultura.

O director executivo da agremiação, Guilherme Mbilana, disse ser importante a disseminação de mensagens chave sobre a lei de terra para tornar mais público o processo de auscultação, visando a revisão da política Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *