“A missão das Forças de Defesa e Segurança não é equivalente a missão do terrorista”

Por Elísio João

O Presidente do Movimento Democrático de Moçambique, MDM, Daviz Nbepo Simango defende que as Forças de Defesa e Segurança estão a perder o seu foco na luta contra os terroristas em Cabo delgado.

Daviz Simango entende por outro lado que há falta de profissionalismo dos Membros das Forças de Defesa e Segurança assim como os do Serviço Secreto do Estado, numa clara alusão de que estes, perseguem pessoas inocentes no lugar de combater os terroristas.

“Infelizmente as nossas Forças de Defesa e Segurança hoje, não estão a ser treinadas para compreenderem a sua missão” – lamentou Simango segundo o qual a missão das FDS não é equivalente a missão do terrorista, porque devem defender os direitos humanos.

A nossa fonte disse e citamos – ʺPrecisamos encorajar as nossas Forças de Defesa e Segurança para irem ao combate, porque é preciso perseguir e combater os terroristas. Não podemos admitir que terroristas desestabilizem a nossa nação. Perseguir terroristas e não ir atrás de inocentesʺ– Fim de citação.

Para o líder do terceiro partido Politico na história democrática do país, as FDS não podem fazer justiça com as suas próprias mãos, porque a fazerem isso incorrem a um desrespeito aos direitos humanos, o que para ele, é grave para um Estado.

Os ataques dos insurgentes em Cabo Delgado, no dizer de Daviz Simango, estão a contribuir negativamente na vida socio-económica daquela Província, onde as populações perderam a esperança.

“O terrorismo está a destruir o desenvolvimento de Cabo Delgado, sendo necessário uma intervenção, para que de facto, os recursos locais beneficiem o cidadão comum” – Observou aquele político que lamenta pelo facto de muitos moçambicanos não conhecerem os seus próprios recursos e que nunca se beneficiam deles.

“Em Cabo Delgado haviam garimpeiros que foram expulsos e substituídos por elites políticas moçambicanas que ignoraram completamente a actividade da população local” – observou Simango que acredita por outro lado que haviam pessoas que estando fora de Cabo Delgado, beneficiavam dessa actividade e que hoje não se importam em financiar o terrorismo.

O Presidente do MDM que visitou a Província de Nampula nos dias 23 e 24 de Setembro disse falando a jornalistas que há necessidade de uma ajuda urgente em alimentos e assistência sanitária aos deslocados de Cabo Delgado.

Para ele, devem se criar condições de forma que os deslocados tenham actividades sustentáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *