A NOVELA DOS PARTIDOS POLITICOS

A NOVELA DOS PARTIDOS POLÍTICOS

Por Junior Rafael

O mundo está de luto desde que se declarou a covid-19 como pandemia. As famílias choram cada dia por perda dos seus ente-queridos. As lagrimas não param de escorrer a cada momento. As igrejas fechadas, as escolas, os comércios, restrições nas viagens, a policia batendo demais nas ruas, pessoas nas celas por violar o decreto presidencial, a fome a bater demais, as mascaras muito caras e o governo apático nisto tudo.

Em meio a esta pandemia, muitos estão empenhados em descobrir a vacina para aliviar o sofrimento do povo. Como é caso da China, Brasil, Alemanha, Rússia entre outros. Algumas vacinas bem avançadas que já estão em teste humano e outras ainda em teste aos animais com promessas que o ano que vem fazer-se os primeiros testes em humanos. Isso mostra que teremos muitas vacinas depois que se certificar a eficácia de cada uma delas.

A África não ficou atrás dessa luta pelo coronavírus, o Egito e o Madagascar apareceram apresentando uma solução fruto da ciência e fartura botânica o que nos animou bastante. Pena que entre nós não houve apoio, mas enfim. Vimos a UniLúrio, a UniPungue fazendo álcool em gel através de matérias locais. Isso significa muito e muito para nós.

Alguns governos de outros países dão a seus concidadãos cestas básicas para aliviar o seu sofrimento e diminuir os impactos da desnutrição, outros isentam das taxas nos produtos da primeira necessidade aqueles que o governo pode subsidiar. Porem existe outros governos indiferentes ao seu povo, que em meio à pandemia reivindicam o aumento salarial e compram carros de luxo prova clarividente que não estão do lado do povo.

Vamos agora à novela dos partidos políticos. A pandemia veio para descobrirmos quem é nosso na verdade e descobrimos que não existe ninguém que gosta de nós como povo mas daquilo que damos e fazemos para mantê-los no poder. Vejo partidos políticos em câmeras das televisões, jornais, redes sociais e.t.c. dando cinco mil mascaras ao ministério de saúde, dez mil pares de luvas. Quantos somos em Moçambique? Mais de trinta milhões de habitantes, o que significa um milhão de mascaras para este universo de pessoas? o que está por detrás das câmeras?

A caridade é um modo de vida das pessoas e não é preciso chamar televisão para mostrar que está doando e muito menos exibir com símbolos partidários.Ahhh,estou também lembrado de alguma coisa sobre este adagio “a ocasião rouba o ladrão”. Não seria bom ajudar no anonimato? o que ganham ao chamar a imprensa para isso? Ou é atrás da pandemia que se prepara o próximo pleito eleitoral? Na próxima campanha eleitoral iremos ouvir desta ajuda ou não? Usarão como gancho para surrupiar a vontade do povo ou não? Por detrás das câmeras existe a campanha eleitoral em nome da pandemia como fizeram com o ciclone IDAI.

Nesta pandemia devíamos todos trabalhar sem olhar pela filiação partidária a fim de aliviar o povo deste mal que veio como ladrão sem avisar. Deixemos as nossas marcas partidárias e lutemos em prol da saúde e vida humana. “…quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita” (Mt 6,3).

As boas obras devem ser praticadas em sigilo, no mais íntimo do coração, visto que vivemos em tempos e época onde a publicidade, a propaganda, ganha espaço. Vivemos em tempos onde tudo aquilo que as pessoas fazem têm de ser mostrado num cartaz e ser proclamado em alto e bom tom.

“As boas obras não precisam de exposição, pois aqueles que a recebem sentem o toque da generosidade, e esta, quando é verdadeira, é também gratuita”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *