AMUSI VIRA COSTAS AOS GESTORES DOS PROCESSOS ELEITORAIS

AMUSI VIRA COSTAS AOS GESTORES DOS PROCESSOS ELEITORAIS

Por Elísio João

O Partido AMUSI, Acção de Movimento Unido para Salvação Integral, acusa os gestores dos processos eleitorais em Moçambique, de impedir a entrada de mais forças políticas no Parlamento Nacional.

O presidente do AMUSI, Mário Albino Muquisinse que ontem, quarta feira, convocou uma Conferência de imprensa para falar da gestão dos processos eleitorais em Moçambique, disse que os únicos três partidos políticos representados na Assembleia da Republica, pretendem acabar com o multipartidarismo no país e constituir um parlamento tripartidário.

“O perigo disso é que eles estão a criar condições para uma colonização entre irmãos em Moçambique”- disse Mário Albino que acrescenta o que passamos a citar-

“Nós como AMUSI estamos a apelar aos que financiaram as eleições de 15 de Outubro, para que ajudem a trazer resultados credíveis para os Moçambicanos.

À comunidade internacional pedimos para que resolva este caso porque está acima das capacidades dos Moçambicanos. Deve apertar a Frelimo, Renamo e ao MDM para disserem ao povo sobre o que aconteceu nas eleições. Já fomos aldrabados desde 1994 e agora em 2019, já estamos fadigados”.

Apesar desse descontentamento, o Presidente do AMUSI garante que a sua formação politica vai continuar a estender suas actividades politicas para outras províncias sem permitir que o povo continue a ser mal governado.

Essas, segundo a nossa fonte, são algumas resoluções da reunião da Comissão Politica Nacional do AMUSI, havida este mês, que serviu para fazer reflexão sobre a gestão dos processos eleitorais em Moçambique.

Recorde-se que Mário Albino concorreu nas eleições deste ano pelo AMUSI para o cargo de Presidente da República e que de acordo com os resultados divulgados pelos órgãos eleitorais, não conseguiu se quer um acento na Assembleia da República.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *