CAJUNA junta-se no apoio aos deslocados de guerra de Cabo Delgado

Por: Gelácio Rapieque

Cerca de 70 jovens da Arquidiocese de Nampula estiveram no último fim de semana em Mucupasa, posto administrativo de Corrane, distrito de Meconta, província de Nampula, a prestarem o seu apoio voluntário na montagem de tendas para o abrigo de várias famílias oriundas de Cabo Delgado, onde se vive o terrorismo desde Outubro de 2017.

A iniciativa surgiu depois da visita do Arcebispo de Nampula, Dom Inácio Saure àquele local, na última quinta-feira.

Dom Inácio havia conversado com a coordenadora da associação de jovens voluntários Kupadzira, que estão em frente do processo de montagem das tendas, a qual manifestou a vontade de ver mais jovens envolvidos na causa.

Não tardou para os jovens da Igreja Católica em Nampula responderem positivamente. Em 24 horas e de forma virtual, a CAJUNA, comissão Arquidiocesana da juventude, conseguiu mobilizar mais de 70 jovens da cidade de Nampula, que durante 2 dias, Sábado e domingo, montaram mais de 100 tendas.

Refira-se que os jovens da Arquidiocese de Nampula podiam ter montado mais tendas se houvesse mais compromisso e responsabilidade por parte do governo, representado pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades-INGC, que por pouco brincavam com a sensibilidade dos jovens da igreja católica.

É que até a noite de sexta-feira, estava tudo acertado para a viagem a Corrane, 70 km da cidade de Nampula, e esperava-se que o trabalho decorresse a partir das 6h e 30 minutos, por isso até 6hs do sábado, os jovens voluntários já estavam no recinto da Catedral local de concentração. Entretanto, o INGC só veio a chegar duas horas depois, ou seja as 8h e 45 minutos e o camião só partiu da Catedral as 9hs. Na ocasião, já reinava um pouco de desânimo e desconforto na parte dos jovens.

Quando se pensava que as duas horas de atraso era tudo, os jovens viram a sua viagem interrompida, depois da rotunda do controlo, por alegada falta de guia de marcha.

Depois de 1h hora e 20 minutos havia a incerteza, chegava o Engenheiro Comboio, com a dita guia de marcha e daí os jovens partiram tendo chegado em Corrane por volta das 11 horas e 30 minutos.

Mesmo assim e com o sol intenso que se fazia sentir naquele dia, os jovens conseguiram montara até as 15 do sábado, 70 tendas, para a satisfação do engenheiro Comboio, que se rendeu com o ânimo e união demonstrados pelos jovens.

Parecia que tudo estava resolvido, mas não. No domingo, os jovens terminaram as actividades as 11 horas, com intenção de regressar logo a cidade, mas isso, só veio a acontecer as 19horas, tudo porque o camião que os transportava na ida, havia misteriosamente desaparecido e ninguém sabia explicar o seu paradeiro.

De resto foi uma viagem conturbada, cheia de dificuldades, mas produtiva, considera a Irma Francinete Ribeiro, Coordenadora da Comissão da Juventude na Arquidiocese de Nampula, que enaltece a paciência, determinação e entrega dos jovens em solidariedade para com os que sofrem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *