CATORZE DESLOCADOS DE GUERRA PASSAM FOME EM MUTHITA-NAMPULA

CATORZE DESLOCADOS DE GUERRA PASSAM FOME EM MUTHITA-NAMPULA

Por Florêncio Alfredo

14 Cidadãos deslocados de guerra em Cabo Delgado necessitando de produtos Alimentares, encontram-se aglomerados na mesmaresidência no Quarteirão 4, Unidade Comunal de Muthita, Bairro de Mutauanha, nesta Cidade.

Dados em nosso poder referem que desde o início do teatro dos supostos insurgentes que semeiam terror em Cabo Delgado, norte do país, milhares de pessoas perderam a vida, outras ficaram deslocadas tendo perdido seus bens.

Mansur Momade é um dos 14 cidadãos que se encontram na unidade comunal de Muthita partilhando o mesmo tecto e sem condições básicas, que falando a Rádio Encontro disse que deslocar-se a cidade de Nampula foi a melhor forma encontrada por aqueles compatriotas.

Ele conta que o cenário que se vive em Cabo Delgado é constrangedor.

“A situação que as pessoas vivem em Cabo delgado é muito penosa, porque há muita gente que neste momento se encontra a dormir no mato. Eu com a minha família pensamos fugir para aqui Nampula, a fim de procurar abrigo” – disse Mansur que disse estar a passar mal na casa onde está alojado devido ao número elevado de pessoas e sem alimentos.

A nossa equipa de reportagem conversou igualmente com Quesa Assane, uma anciã que aparenta ter mais de 55 anos de idade e que com lágrimas na ponta do olho disse que é lamentável o sofrimento que os moçambicanos  estão a passar em Cabo Delgado.

Quesa Assane lamentou pelo facto de a guerra estar cada vez mais a sufocar e aumentar a pobreza.

“Cansamos de dormir nas matas. Por isso que resolvemos deslocar-nos a cidade de Nampula a fim da procura de melhores condições de vida” disse Quesa Assane.

“Veja que somos 14 indivíduos nesta casa, dormimos mal por não ter condições merecidas e por ter-nos sido obrigado a sair da nossa zona de origem com pessoas que neste momento estão a viver nas mansões luxuosas” – avançou a nossa interlocutora agastada com a triste circunstância na qual está submetida.

Entretanto, o Secretário daquele Quarteirão, Rosário Tarieque, disse estar a intensificar trabalhos de mobilização de víveres no sentido de ajudar aquela família que carece de tudo.

Importa referir que das 14 pessoas oriundas da Província de Cabo Delgado movidas pela guerra 9 são crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *