CERCA DE 514 RECLUSOS GOZAM DE LIBERDADE POR AMNISTIA

CERCA DE 514 RECLUSOS GOZAM DE LIBERDADE POR AMNISTIA

Por Florêncio Alfredo

O Ministério da justiça já está a dar soltura aos Reclusos que beneficiaram da amnistia declarada pelo chefe do Estado moçambicano, Filipe Jacinto Nyusi.

A amnistia dá a primazia aos reclusos que têm penas de um ano por cumprir.

O inspector-geral dos serviços penitenciários de Moçambique, Marcos Cumbane, revelou que em Nampula estão abrangidos nesse processo, 514 reclusos.

Para Marcos Cumbane, o perdão dado aos reclusos, visa preveni-los da pandemia do novo coronavírus.

Há superlotação dos reclusos nos calabouços, por isso houve a necessidade em diminui-los por forma a seguir com as medidas de prevenção da covid-19“, reconheceu Cumbane.

Por seu turno, o director penitenciário industrial de Nampula, Luís Sabão, disse que a sua instituição ao nível da província tem 1.716 prisioneiros, deste número, 514 beneficiaram com entusiasmo a amnistia decretada pelo chefe do Estado moçambicano.

A medida de soltar os reclusos vai ajudar a descongestionar as cadeias dando mais espaço e melhor controlo dos mesmos,” avançou Sabão.

Entretanto, o juiz presidente do tribunal da cidade de Nampula, Mahomed Varinda, apelou aos reclusos a evitarem o cometimento de novos crimes que lhes levará de novo aos calabouços, numa clara alusão de que saem das cadeias através do perdão concedido pelo Chefe do Estado, movido pela pandemia do covid-19.

“Não continuaremos cometer mais crimes porque notamos que faz mal, já fomos lavados a cabeça” uma das palavras que saia da boca dos reclusos mostrando-se satisfeitos por beneficiarem do perdão.

Recorde-se que o perdão concedido aos reclusos em Moçambique pelo chefe do Estado, destina-se a evitar a propagação do novo coronavírus nas cadeias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *