COM INTERRUPÇÃO DAS AULAS NADA ESTÁ PERDIDO

COM INTERRUPÇÃO DAS AULAS NADA ESTÁ PERDIDO

Por Elísio João

O Sector de educação em Nampula acredita que apesar da interrupção das aulas, em cumprimento do Decreto presidencial numero 11/2020, nada está perdido na componente de aprendizagem.

Falando em conferência de imprensa esta quarta feira, a Porta voz da Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano de Nampula Caetana Cunhete, entende que essa interrupção poderá produzir impacto não muito bom no processo de ensino e aprendizagem.

Para minimizar a situação, estão a ser desenhados vários senários em todos os Serviços  Distritais de forma que os alunos continuem a acompanhar as aulas a partir das várias plataformas criadas pelo Sector.- referiu a porta-voz da Direcção Provincial de Educação e desenvolvimento Humano em Nampula, a qual esclareceu que neste momento os apelos são no sentido de as crianças manterem-se em casa e fazerem as tarefas que as escolas disponibilizam, prevenindo-se do Covid-19.

Fez saber que as Escolas Secundarias das zonas urbanas, criaram já grupos de Whatsap onde são partilhados os trabalhos que são disponibilizados, o que não está a acontecer nas zonas rurais.

Estamos conscientes das dificuldades que os alunos das zonas rurais estão a enfrentar, mas em colaboração com alguns parceiros, elaboramos aulas para o ensino Primário nas modalidades Monolingue e Bilingue para serem difundidas nas Rádios Comunitárias. – Acrescentou Caetana Cunhete, que espera vir ajudar aos alunos que vivem em zonas onde o sinal de Televisão não chega.

A nossa fonte garantiu que tudo está a ser feito para que os alunos adquiram conhecimentos através dos materiais que estão a ser produzidos.

Nós como sector de Educação,estamos a trabalhar de modo que o aproveitamento pedagógico não esteja muito afectado.- disse Caetana que fez saber que existe uma interacção permanente com os serviços Distritais de educação nesse sentido, para além das visitas de monitoria.

Entretanto a Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento humano, no dizer de Caetana Cunhete, acha que há necessidade de incentivar mais os professores.

Apelamos aos professores e alunos que não estamos de férias – recordou a fonte para a qual o professor deve trabalhar, produzindo textos de apoio e exercícios para os seus alunos.

Para ela, este é momento para os professores ajudarem na organizaçãodo sector pedagógico.

Ainda não está nada perdido. O ano lectivo é composto por 38 semanas e nem metade dessas semanas foram perdidas– assegurou Cunhete que admite haver muito tempo pela frente e caso seja necessário poderá se recorrer ao processo de aulas de recuperação, todo na perspectiva de o ano não ficar perdido.

A Província de Nampula tem duas mil, duzentas trinta e três Escolas, com mais de Um milhão, quinhentos e cinquenta mil alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *