Com o novo normal, Centro de Saúde atende em média 350 pacientes por dia

Por César Rafael

Com o relaxamento das medidas de prevenção, no âmbito do novo normal, como consequência da pandemia da covid19, o centro de saúde anexo ao hospital psiquiátrico na cidade de Nampula, província do mesmo nome, aumentou a sua capacidade no atendimento aos pacientes sofrendo deváriasdoenças.

De acordo com Fátima Sualehe, médica Directora clinica daquele centro de saúde, a média diária de atendimento é de 350 pacientes.

Fátima que considerou ser preocupante o elevado número de pacientes, garantiu na ocasião, haver a capacidade de resposta mas, que também há uma necessidade no reforço do pessoal no sentido de responder prontamente a demanda.

Neste momento, segundo a fonte, o centro conta com uma mão-de-obra composta por 76 funcionários, dos quais 60 é que estão no activo e, os restantes 16,alguns já estão reformados e, outros encontram-se a estudar por via de bolsas de estudos.

Questionada sobre algumas especulações no que respeita a comportamentos desviantes por parte de alguns funcionários, como são os casos de cobranças ilícitas e outros, a fonte, negou as acusações, tendo garantido que atéentão o centro não recebeunenhuma queixa sobre os tais comportamentos.

“Esse assunto é tao delicado, constituir verdade é encontrar alguém e, depois as pessoas denunciarem, para irmos seguindo os processos para vermos como vai ser. Eu, acho que não constituiverdade. “Defendeu Fátima Sualehe, médica e directora clinica daquele centro.

A malaria, as diarreias, o VIH são asdoenças mais frequentes e que preocupam aquele centro hospitalar, com maior enfase para o VIH, que regista maior numero de pacientespois diariamente recebe novos casos, chegando a atender mais de 200 processos por dia de pacientes vivendo com VIH segundo relatou a directora.

Fátima Sualehe, medica e, Directora do centro de saúde anexo ao hospital psiquiátrico na cidade de Nampula, fez estas declarações na ultima 5ª feira (29.10), no acto da celebração do dia mundial do cancro da mama e, do colo do útero, cuja cerimonias centrais ao nível da província, tiveram lugar naquele centro e, que foram dirigidas por Ana Mimosa Alberto, 1ª dama da província de Nampula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *