Confissões religiosas desafiadas a promover espirito de irmandade e comunhão

Por Malito João

Para dia 21.05.2021

O Presidente da Comissão Arquidiocesana para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso desafia aos fiéis de diversas confissões religiosas a pautarem pelo espirito de irmandade.

Padre Massimo Robol falava a margem do Simpósio da Fraternidade Humana, realizado esta quinta-feira (20.5), envolvendo fiéis católicos, Protestantes e Muçulmanos, no Centro Catequético Paulo VI de Anchilo, em Nampula.

A ideia aparece através de um documento do Papa Francisco líder da Igreja Católica e Shek Al-Azhar líder dos muçulmanos, feito com o objectivo de mobilizar a todos para fraternidade humana.

De acordo com o Padre Massimo com este documento, os dois líderes mundiais transmitem a necessidade de cultivar o respeito cultural, religioso e politico, de forma a garantir o bem-estar social, a irmandade e a dignidade humana. 

Na ocasião, alguns participantes do evento reconheceram haver algum divisionismo entre as Igrejas em Nampula, facto que leva cada grupo aacreditar nos seus princípios, descartando dos outros. Por isso, saudaram a iniciativa do evento, considerando ser um passo importante para a reconciliação e convívio harmonioso das religiões.

“A declaração sobre a fraternidade humana do Sumo Pontífice Papa Francisco e Grau Imame Al-Azhar Ahmad Al-Tayyeb é um documento eficaz que vai ajudar as comunidades religiosas, a uma verdadeira demostração do interesse pela paz”.

Por seu turno o pastor Daniel Joaquim da Igreja evangélica de Cristo, sublinhou que a religião envolve a organização, sendo que cada religião tem a sua forma de se organizar, mas o objectivo é o mesmo: adorar a Deus e amar ao próximo.

Importa referir que o encontro de ontem teve a duração de um dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *