Conflito entre pescadores compromete a produção pesqueira em Moma

Por Elísio João

O Distrito de Moma poderá continuar a liderar a lista dos 10 distritos potenciais produtores de pescado nos próximos anos na província de Nampula.

A garantia foi dada pelo Administrador daquele distrito Chale Ossufo, o qual sustenta que para tal, estão neste momento licenciados 11 mil pescadores que operam em 1964 embarcações, das quais apenas 37 movidas a motor para o mar aberto.

Chale Issufo disse que o distrito de Moma espera sair dos 30 para 40 porcento dos níveis de captura do pescado, graças ao respeito escrupuloso do período de veda.

Aliás, para que os pescadores respeitem o período de veda, no dizer do Administrador de Moma, serão formados 50 fiscais extras a serem afectos nos 10 principais centros de pescado daquele distrito.

Na campanha anterior, o Distrito de Moma tinha planificado capturar 11 mil toneladas de pescado diverso, tendo sido capturadas 7 mil toneladas, na sua maioria camarão e caranguejo.

O que está a ser constrangedor neste momento em Moma é o conflito com pescadores de outras zonas de pesca que fazem parte do banco de Sofala.

Mas Chale Ossufo espera que esse conflito poderá ser controlado com a capacitação dos novos fiscais.

“Os fiscais que vamos formar vão trabalhar para evitar que o problema de conflito não esteja a acontecer como tem vindo a ser reportado” – garantiu Chale Ossufo que explicou que grande parte de pescadores que entram em conflito são os de nacionalidade estrangeira.

O Distrito de Moma contribui com 30 porcento do pescado comercializado na Cidade de Nampula.

Recentemente, foi instalada no distrito de Moma uma Indústria de processamento e conservação do pescado, que está a empregar pouco mais de 500 pessoas com a capacidade de processar 40 toneladas de pescado por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *