CONSUMO DE ÁGUA IMPRÓPRIA EM NAMITECA

CONSUMO DE ÁGUA IMPRÓPRIA EM NAMITECA

Por Olga Félix

População da Comunidade de Tarampwatule bebe água do rio Muhala.

A Falta de água potável e corrente eléctrica está a ser um grande constrangimento na vida dos residentes da Comunidade de Tarampwatule, quarteirão 25, no bairro de Namiteca, em Muahivire Expansão.

Alguns residentes ouvidos pela Rádio Encontro disseram que a água consumida naquela Comunidade é proveniente do rio Muhala e é conseguida com muito sacrifício, para além de constituir um atentado a saúde.

“Saímos a noite para procurar agua no rio Muhala, onde se concentra muita gente a disputar locais com agua que tem mau cheiro”. Disseram algumas senhoras que falaram a Rádio Encontro, que acrescentaram dizendo que percorrem longa distância para a sua aquisição.

O Chefe do Quarteirão 25, em Namiteca, Tarampuatule Momade disse ser lamentável a situação em que os moradores daquela Comunidade vivem.

Sensibilizado com o problema, Momade recorda ao governo da necessidade de criar condições básicas para as populações.

Refira-se que no último manifesto do cidadão, os moradores do Bairro de Muahivire apresentaram como preocupação, a falta de água canalizada e ou outras fontes de abastecimento do precioso líquido.

Sobre a energia eléctrica, aquela comunidade teria pedido no seu manifesto, uma descentralização dos serviços, através da criação de conselhos Comunitários de energia, órgão que poderia coordenar com a EDM.

Já passam 18 meses desde que foi feito o levantamento das necessidades  em todos os postos Administrativos desta cidade, mas que nenhuma delas são resolvidas em quase todas as Comunidades.

O Manifesto do Cidadão, recorde-se, foi elaborado através de uma consulta junto das comunidades, um trabalho levado a cabo por algumas organizações da sociedade Civil.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *