COVID 19 PODE ENFRAQUECER A ECONOMIA DO PAIS

COVID 19 PODE ENFRAQUECER A ECONOMIA DO PAIS

Por Florêncio Alfredo

Membro da Sociedade civil em Nampula é da opinião que se a problemática da COVID-19 prevalecer por muito tempo, depreciará a economia do país a um ponto jamais visto.

A informação foi dada a conhecer por Arlindo Muririwa, membro da sociedade civil em Nampula, o qual referiu que as comunidades devem seguir com as medidas preventivas da pandemia para que não se propague.

Para Arlindo Muririwa em parte está a questão do nosso país ser dependente da economia estrangeira e por outra tem a ver com a fraca produção que se verifica desde dia 01 de mês corrente que entrou em vigor a declaração Moçambique em “Estado de emergência” que obrigou instituições governamentais e privadas a trabalharem restritamente e algumas delas fecharem.

A nossa fonte mostrou-se preocupada com o nível da pobreza das famílias moçambicanas, que dia-a-dia se expõem a esta pandemia nos diferentes mercados desta cidade em busca de um bem-estar familiar.

“É bem visível que as populações moçambicanas preferem morrer de coronavírus do que fome, por isso todas as manhãs é notória pessoas andando um lado para outro a procura do seu sustento,” avançou Muririwa.

Questionado sobre como é que ficam os salários dos trabalhadores que as suas empresas fecharam devido o novo coronavírus, Muririwa respondeu que eles não são culpados, é preciso que governo accione mecanismos que obriguem as empresas a pagarem aos seus trabalhadores.

Por outro lado, o nosso interlocutor foi mais além com os pés assentes do chão que o Governo é que deve neste momento criar condições por forma a ajudar as famílias mais vulneráveis nos produtos alimentares para que se aguentem na quarentena domiciliar.

Lembre-se que uma das medidas preventivas do novo coronavírus difundidas pela organização mundial da saúde OMS, é de lavar sempre as mãos, não dar aperto da mão, abraços, beijos e em fim, por forma a evitar a pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *