Crónica do Dia – A NOSSA VÉNIA ÀS MULHERES DO MUNDO

Por Kant de Voronha

O mundo devia ser habitado por mulheres. Só assim seria livre da violência; seria livre da falsidade; seria livre de acções nefastas e da criminalidade.

Estatísticas mundiais indicam que as mulheres são a maioria. Moçambique em particular, de acordo com os dados dos resultados do IV recenseamento Geral da População e Habitação de 2017, com mais de 30 milhões de habitantes, mais de 15 milhões são mulheres. Em Nampula com cerca de 7 milhões de habitantes, quase 4 milhões são mulheres. Esses números não incluem as que nasceram de Setembro de 2017 aos nossos dias. Tendo em conta que diariamente nasce-se e mais mulheres continuam a nascer.

As mulheres são por natureza bondosas, atentas, carinhosas, fiéis, dignas de confiança. Elas têm o dom de gerar a vida; cuidar e manter o lar; a mulher é sacrificada. Apesar disso, encontramos aquelas que no seio dessa maioria alimenta o mundo do crime, da mentira, das fofocas; alimentam o mundo da preguiça e da vaidade.

A meio da fome que devasta muitas famílias é a mulher quem busca com olhos perdidos no vazio, alguma coisa para enganar o estômago. Encontramos situações terríveis de uma mulher com seu bebe a amamentar, sentada ao sol a vender 5 lugares de tomate.

Assistimos igualmente a vários casos de desistência escolar motivada pelas uniões prematuras; elevada taxa de analfabetismo; elevado índice de violência doméstica e situações anómalas de vida que a mulher enfrenta diariamente.

Por isso queremos hoje render a nossa vénia para essa mulher que se dá sem medida. A vénia para as mulheres batalhadoras que diariamente procuram o bem-estar da sua família e de todos quantos a cercam. A vénia para aquelas mulheres que procuram libertar-se de todos esquemas de escravatura feminina, dominação e exploração humana. A vénia para as mulheres profissionais de saúde que mesmo face ao perigo iminente do Coronavírus dedicam-se no cuidado desinteressado aos doentes assumindo sua missão com vocação e determinação, sem desleixo, sem suborno, sem preguiça.

Que o dia internacional da mulher seja celebrado com o reconhecimento do esforço conjunto de construir um mundo cada vez mais pacífico e harmonioso; um mundo mais fraterno e solidário; um mundo mais humano e mais coeso. E mais não disse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *