Crónica do Dia – A VIDA DOS AVARENTOS

Por Kant de Voronha

O amor não tem preço. O amor com amor se paga. Mas também quem ama sem interesses sabe que nem sempre terá boas recompensas. Pois, há pessoas mal-agradecidas.

Um pai ou uma mãe educam uma criança até crescer. Quando ele ganha consciência de si e alcança suas posses vira as costas àqueles que tanto se deram para lhe ver crescer. Essa é também uma forma de avareza. É preciso combater desde a tenra idade, porque “do pequeno se torce o pepino” como prezam os portugueses.

O avarento é inimigo do amor. É um lobo com pele de cordeiro. Aparentemente é uma pessoa amigável, prestável e disponível.

O avarento é inimigo do amor porque quem ama deseja o bem ao outro; quem ama cuida. Mas o avarento em tudo quer ser o primeiro. Ele gosta das coisas alheias. Mas as suas coisas nem se podem tocar. Todos os seus bens têm cadeado e anda com muitas chaves, porque tudo está fechado e ninguém ousa em levar sem autorização.

O avarento prefere deitar comida na lixeira que oferecer a um órfão faminto. Ele sente dor no coração quando alguém toma conta dos seus pertences. É como se lhe ferissem com uma lança aguçada.

O avarento concentra tudo em sua volta. Ele é o centro das suas coisas. Mesmo as suas amizades são encarceradas. Ele só é que deve ser amigo daquela pessoa e mais ninguém.

O avarento é como enxada do agricultor. Arrasta tudo para si, nunca para os lados, para a frente ou para sua atrás. Nunca. Ele gosta de emprestar coisas de outrem. Mas as suas coisas não podem ser emprestadas senão se estragam.

Se tem uma bicicleta nova, o avarento prefere cobrir com um lençol para que rato nenhum ou barata (nintulo) pouse sobre ela.

A avareza é uma doença social que divide muitos lares, mata famílias, afasta os amigos, repele a convivência e satura as relações humanas. A avareza é um mal a combater e os pais devem vigiar sobre os seus filhos porque esse modo de comportamento começa na infância e à medida que a pessoa cresce, também ela ganha níveis elevados. Quanto mais adulta é a pessoa, mais aguda é a sua avareza. O avarento é persona non grata. E mais não disse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *