CRÓNICA DO DIA – É PRECISO DESARMAR OS CORAÇÕES

Por Kant de Voronha

A paz não é apenas o calar das armas. A vitória não é apenas acabar a dominação colonial. A liberdade não é apenas ser governados por moçambicanos. Teremos paz se acabarmos todas as armas que há em nossos corações porque são elas que continuam a dividir o país, a pilhar os recursos, a criar assimetrias mais acentuadas entre ricos e pobres, a matar inocentes e miseráveis em todos os dias.

Teremos vitória se realmente deixarmos de dominar os concidadãos com o poder que exercemos contra eles através dos títulos que carregamos nas costas. Seremos livres se tivermos consciência de que o bem comum deve ser promovido em benefício de todos. Não há liberdade onde uns acumulam tudo para si e outros são privados de tudo. Não há vitória onde uns encomendam a morte dos outros. Não há paz onde as pessoas vivem inseguras, desprotegidas e temendo até sua própria sombra. E o que nos lembra o 7 de Setembro?

Celebra-se anualmente, nessa data, a memória histórica da vitória moçambicana. Recorda-nos a celebração dos acordos de Lusaka entre o Governo Português e Moçambique em 1974. Em virtude disso, reconheciam-se os direitos do povo moçambicano de viver independente e livre. Viver sem ser escravizado com trabalho forçado e sem reconhecimento dos próprios direitos.

Ao comemorarmos esta data devemo-nos questionar sobre as implicações do nosso empenho na libertação do país de todos os esquemas de dominação; todas formas de escravatura; todas formas de exploração de uns contra os outros; todas formas de violação dos direitos humanos nas suas múltiplas vertentes.

Devemos ensinar as novas gerações para que saibam a nossa origem e conquista histórica. Os feriados, muitas vezes, são considerados dia dos embriagados. Por isso não traz impacto na vida sociopolítica do país. Não se reflecte o evento celebrado. Não se leva a sério.

É urgente recuperarmos a nossa história verdadeira que não é monopólio de uns mas que é fruto de forças conjuntas de um povo unido e que aposta no seu progresso. A vitória é uma consequência do esforço do povo moçambicano. Mas precisamos de sair da dependência estrangeira que continua a colonizar-nos. E mais não disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *