Crónica do Dia – MATXINI COLOU NA PASTA ALHEIA

Por Kant de Voronha

Se é verdade que “não há fumo sem fogo”, também é verdade que contra factos não há argumentos.

Eu estava em plena viagem embalado no sono. Ainda muito cedo. Mas alguém toca o sino do meu celular para me informar que no Mercado Waresta havia vuku-vuku por causa de um jovem que tinha as mãos coladas numa pasta alheia. O alvoroço era tal que o negócio parou e cada um queria ver aquele jovem que tomava banho o seu próprio suor na tentativa de se livrar daquela pasta. Corri como vento

Uns diziam que a pasta era do gajo. Mas outras testemunhas no local atestavam com os dois pés juntos que a pasta pertencia a um cidadão que vinha do distrito de Ribaué com o seu produto para comercializar. Acontece que depois de descarregar a sua mercadoria, talvez o suposto ladrão julgou que tivesse uma presa fácil. Aliás, alguns jovens da cidade gostam severamente das pessoas do campo. Mas isso acontece também com a polícia. Muitos cidadãos a quem a polícia pede Refresco por falta de BI são pessoas que chegam dos distritos. Na ocasião, o viciado introduziu-se no interior da pasta daquele cota ribauense, e nunca mais conseguia sair.

Coisa estranha é que o proprietário não se preocupou com a pasta. O rapaz lutava sozinho tentando tirar suas mãos da pasta.

Ora, se para a maioria das pessoas aquele era um ladrão encontrado em flagrante delito, o Presidente da Associação dos Médicos Tradicionais de Moçambique – AMETRAMO em Nampula, Evaristo Muhano tudo não passou de possessão de maus espíritos. Muhano diz que aquilo era matxini porque a sua sabedoria lhe revelou isso, uma vez que o jovem bebeu desobedecendo as normas da família.

O que me admira é que o jovem não cheirava álcool. Será que o senhor Muhano viu-o a beber? Algumas pessoas tentaram carrega-lo sem sucesso. Será que matxini prende a pessoa ao chão? Será que a adivinha de Muhano lhe enganou? Será que Muhano falou aquilo para arrefecer os ânimos do povo? Ou queria mostrar que Ametramo tem palavra a dizer? Cheira-me mal esta pesquisa.

Ninguém duvida que o comportamento de certos jovens que frequentam Waresta é próprio de gatunagem visando extrair bens de pessoas menos vigilantes. Será o caso daquele famoso jovem?

Tenho certeza que aquele episódio vai servir de lição para aqueles estivadores falsos que se passam de ajudantes de bagagens enquanto querem roubar. Na verdade há pessoas que engordam, constroem casas bonitas, comem bem, vestem-se de rei aqui na cidade só por causa de roubar coisas alheias.

Se eu conhecesse o dono da pasta levaria para ir colar as mãos de todos ladrões que nos afligem aqui na cidade. E mais não disse!

One Reply to “Crónica do Dia – MATXINI COLOU NA PASTA ALHEIA”

  1. Corre muita poeira neste episódio,
    Em que podemos pensar e acreditar?
    O Presidente da AMEDRAMO bate o pé do chão que se tratava de matxini, outrora o jovem é gatuno, aqui fico equivocado.
    Mas a verdade aconteceu oque devia acontecer…
    Se é matxini de verdade que o jovem melhore logo, e se é sanguessugas que sirva de lição aos outros sanguessugas,
    Os que vivem a custa de sangue dos outros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *