Crónica do Dia – O PROFESSOR É CORAÇÃO DE UM PAÍS

PURSORE MURIMA W’ÉLAPO

Não consigo imaginar um país sem professores. Profissão essencial, indispensável em qualquer sociedade. Apenas varia nas modalidades do exercício dessa profissão. Por isso existem escolas, creches, Institutos médios e Superiores até Universidades para os que lá chegam. As sociedades sem escolas e professores condenam-se à estagnação ou à sua extinção. São sociedades ainda rudimentares.

Com o défice de emprego no nosso país, o sonho de muitos pais é que seus filhos se tornem professores. Têm vocação para dar aulas? Esse é o maior acidente que assistimos com frequência no terreno. Encontramos professores de todos os tipos e alunos de igual sorte. Há os que se empenham em aprender e ensinar com sabedoria. Há, porém, aqueles que apalpam. Apalpam mesmo. Confundem enxada com machado. Esqueceram que o segredo do sucesso está no saber e saber fazer. E a essência do trabalho do professor consiste em levar o aluno ao saber e ao saber fazer.

O professorado é considerado como a Profissão mal paga. Muitos professores trabalham em condições deploráveis. Passam tempo e mais tempo para preparar aulas, corrigir testes, ouvir os alunos com paciência. Mas qual é a vida desse profissional empenhado?

Acho que o professor deveria ser o trabalhador mais pago do mundo e com vida digna. Mas há professores descalços, miseráveis, dependentes do álcool, desmazelados, tristes. Outros há que passam sua vida de 1 a 30 acumulando dívidas. O salário do fim do mês nada mais vale senão para pagar dívidas. Mas estão neste país trabalhadores rodeados de várias mordomias. Recebem salários exorbitantes 10 vezes mais o salário miserável de milhões de professores. São pessoas que nem usam seu dinheiro, tudo recebem do Estado mesmo grande parte da sua roupa.

Antigamente muitos alunos da nossa terra que estudavam fora do país eram brilhantes e considerados os melhores. Mas hoje em dia muitos se riem de nós. Maior parte dos nossos alunos são piores quase em tudo até para ler e escrever o seu nome. Onde está o erro disso? No professor? No sistema de educação? Na falta de vontade para aprender? Vamos pensar nisso e viva o dia dos nossos professores. Todos nós somos frutos do trabalho deles. E mais não disse!

Por Kant de Voronha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *