Crónica do Dia – ONDE HÁ PAZ NADA FALTA

Quando falam que recordar é viver não é mentira. Só que há recordações que a memória nos traz e provocam morte em nossa alma. Por isso, quem se recorda dos 16 anos de guerra civil em Moçambique sempre revive o terror e angústia vividos pelo povo. Foram tempos muito difíceis onde o desespero roía a alma. Mas recordar o ano de 1992 com o acordo geral da Paz revivemos a nossa liberdade, a nossa independência.

Há um velho ditado que diz: Um cão caçador vê-se pelas cicatrizes. Será que esse aforismo é aplicável igualmente às cicatrizes que carrega a nossa Paz? Durante esse tempo todo a arrogância humana feriu a nossa Paz com guerras entre irmãos, com injustiças, com elevado índice de corrupção, com nepotismos, com prepotência, violação dos direitos humanos, arbitrariedade na gestão do erário público, acentuação da criminalidade, derramamento de sangue inocente. E me pergunto se realmente temos paz. Talvez digamos que calaram-se as armas?

Pois, entendo que o conceito de paz engloba muito mais que a simples inexistência de confronto armado. Na verdade, paz é também assegurar a estabilidade física e emocional de todos, é garantir a qualidade de vida e liberdade para todo ser vivo e o cuidado imprescindível ao meio ambiente, à mãe natureza. Por outro lado, Paz é garantir que todas as pessoas tenham moradia, comida, roupa, educação, saúde, amor, compreensão, ou seja, boa qualidade de vida. Paz é buscar a serenidade ter força e boas ideias para enfrentar os problemas e resolver as dificuldades da vida.

Portanto, se prevalecem situações de guerras, instabilidade política, devastação da nossa floresta, vinganças e intimidações do povo e custo de vida cada vez difícil, a Paz encontra obstáculos para a sua efectiva materialização. É daí que emerge a necessidade de uma profunda reflexão sobre a nossa paz. Não nos conformemos com aparências. O muito já se fez, mas precisamos de uma Paz efectiva, adulta, pronta de nos capitalizar a harmonia e concórdia.

Onde há paz, há Deus e onde há Deus, nada falta. Assim, se a nossa paz for despida de Deus lacunas não faltarão. E mais não disse!

Por Kant de Voronha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *