Desistência ao TARV em Nampula preocupa autoridades sanitárias

O sector de saúde em Nampula está preocupado com a desistência no tratamento Antirretroviral de pessoas vivendo com o HIV/ SIDA.

Esta preocupação é manifestada numa altura em que algumas pessoas portadoras do vírus pararam de medicar sem nenhuma justificação.

Ē neste sentido que  o sector de saúde  continua a lançar apelos para adesão ao TARV.

Segundo o chefe do departamento de assistência médica no Serviço Provincial de Saúde em Nampula, Samuel Carlos, a principal arma para combater o HIV SIDA no organismo humano é o tratamento Antirretroviral sem interrupção.   

Samuel insta as pessoas que vivem com o vírus para não ficarem desmoralizadas, porque segundo ele, ter o HIV /SIDA não significa o fim da vida.

A Radio Encontro ouviu um jovem que vive com  HIV e que assume publicamente através das redes socias.

Ele chama-se Miguel Acácio Oliveira, de 20 anos de idade, e revelou-nos que depois  de  ter descoberto que tinha o vírus a sua convivência era difícil, porque não tinha aceitação na sociedade e sofria descriminação no seio familiar e escolar.

Miguel disse que depois de aderir ao tratamento e assumir publicamente, vive como qualquer pessoa e actualmente  serve de exemplo de superação e motivadora ao tratamento e não sente vergonha em assumir ter o HIV.

Miguel aproveitou a ocasião para deixar apelo sobre a necessidade de adesão ao tratamento Antirretroviral e pede a comunidade a apoiar moralmente as pessoas com o HIV para facilitar a sua inserção  na sociedade.

Entretanto o chefe do departamento de assistência medica no serviço provincial de saúde em Nampula, Samuel Carlos, louva a iniciativa do jovem Miguel por ter assumido a doença através das redes socias tornando-se um espelho para a sociedade. Samuel espera que existam mais pessoas na Província de Nampula a viverem  nesta situação e insta-as a serem motivadoras para adesão ao tratamento Antirretroviral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.