Crónica do Dia – EDUCAR ALGUÉM NÃO É VIOLENTAR

EDUCAR ALGUÉM NÃO É VIOLENTAR

Por Kant de Voronha

A organização da família vem-se transformando com o passar dos tempos. Porém, em todos os tempos e seja qual for sua formação a família deve desempenhar funções educativas, transmitir valores culturais e humanos, fornecer modelos de formação para o indivíduo viver socialmente e estabelecer suas relações. De contrário continuaremos a viver o terror actual de desorientação social.

A família é insubstituível para o crescimento humano. Aliás, todos nós sabemos que a família não se compra. Ninguém escolhe em que família nascer. Ninguém escolhe qual deve ser o seu pai ou sua mãe; seus irmãos ou avós. A família é dom de Deus. Ela é-nos oferecida por Deus. Os pais são para os filhos os primeiros modelos de como os adultos se comportam, de como ser homem ou ser mulher, a criança incorporará a cultura que a família reproduzir em seu interior.

É verdade que alguns filhos rejeitam os seus progenitores. Depois de crescerem e começar a trabalhar excluem aqueles que tanto lutaram para lhes fazer crescer. Nunca mais se interessam pelos pais, e até chega-se ao agravante de considerá-los como feiticeiros ou invejosos.

Mas é também verdade que existem pais ou educadores que humilham e maltratam as crianças. Por isso, no seio familiar também deve se concretizar o exercício dos direitos das crianças, como cuidados essenciais para possibilitar seu crescimento físico e desenvolvimento humano. Esse começo será fundamental para o resto da sua vida.

A família deve iniciar a educação sexual desde o nascimento da criança e a escola deve saber como prosseguir com as orientações de forma a desenvolver um indivíduo saudável. Mas nem sempre é assim, em muitos casos os pais não conversam com as crianças em casa e a repreendem quando elas querem saber algo. De certa forma este comportamento por parte da família acaba tornando a criança um adulto sexualmente reprimido ou permissivo de mais.

Na verdade, somos todos responsáveis uns dos outros. Na educação infantil, os pais têm como controlar o que seu filho assiste, escuta ou acessa pela internet e as escolas devem igualmente controlar o que acontece dentro de seus domínios. O comportamento do aluno na escola, às vezes, não é o mesmo que se manifesta em casa. Esta incongruência deforma o crescimento das crianças. Lutemos por uma educação saudável e livre de violência. E mais não disse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *