ELE FAZ TRABALHO DA SOGRA?

ELE FAZ TRABALHO DA SOGRA?

Yena onvara muteko w’amathe?

Por Kant de Voronha

Se há no país um trabalho pouco reconhecido e também sem salário é o do camponês. Tanto sacrifício por muito tempo e pouca remuneração.

O camponês é uma pessoa que tanto contribui para o desenvolvimento do país senão do mundo. Ele trabalha de forma árdua, constante sem nenhum valor lucrativo para o enriquecimento pessoal. Aliás, este não tem salário quanto menos o tempo de férias como têm tido os funcionários do Estado ou de instituições privadas.

Trabalhar para o bem da nação é mesmo salvar a vida dos demais necessitados. No nosso país, nota-se uma autêntica falta de políticas claras de encorajamento ou ajuda aos camponeses pelo seu envolvimento no bem de todos. Sem o camponês a produção alimentar entra em jogo e gera-se a fome. Mesmo em anos de muita estiagem, ficamos de olhos as machambas e as lágrimas caem sem avisar. Pois, o camponês é importante.

Será que os camponeses não mereciam auferir igual ao salário dos nossos deputados? Aliás, o trabalho ordinário do camponês supera os parlamentares. Alguns acabam 5 anos inteirinhos sem nunca os ouvirmos pronunciar duas palavras. O máximo que podem fazer é acordar e aplaudir quando António Muchanga lança uma piada. Entrementes, estes até são aumentados o seu salário, trabalhar como não, faltar como não, bastará ter nome na lista dos deputados da Assembleia da República.

Ao passo que o camponês que vai constantemente ao combate contra a pobreza e sua sobrevivência não lhe é dado pelo menos o respeito ou consideração quanto ao seu empenho. Os seus produtos são comprados a preços muito baixos e irrisórios. E quando não consegue comprar cadernos, diz-se que ele é incompetente e amigo de aguardentes.

Portanto, com esse valor tão inconsolável quanto ao cansaço adquirido ao longo do ano. Se há financiamento acumulam sempre para as mesmas pessoas e os outros camponeses ficam remetidos ao esquecimento. Isso acelera as doenças porque o trabalho é duro, ao ponto de lhes puxar facilmente a velhice precoce. E assim sendo não têm possibilidades para levar os seus filhos ao hospital até mesmo à escola com a pretensão de combater o analfabetismo.

Se a aposta governamental é investir na agricultura que haja distribuição equitativa dos meios de trabalho para que o camponês seja capaz de produzir para seu consumo, mas também para vender e alcançar seu salário capaz de lhe favorecer uma vida digna. E mais não disse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *