Em Nampula “não há zonas onde pessoas estejam a morrer de fome” disse Pacule

Por Elísio João
O Diretor Provincial de agricultura de Nampula Ernesto Pacule voltou a garantir, ontem, 16 de Março, que apesar do registo de casos de insegurança alimentar em algumas famílias, a Província não registou situações de fome crónica.
Falando em Conferência de imprensa, Ernesto Pacule disse que a província de Nampula dispõe de alimentos, mas que algumas famílias não têm poder de compra.
Para ele, essa situação vive-se em cada período de transição entre uma campanha agrária para outra, ou seja, entre os meses de Dezembro e Janeiro, algumas famílias enfrentam problemas de escassez de alimentos, mas que isso não se pode generalizar.
“O que acontece nesse período, é que as famílias reduzem o número de refeições por dia”. -disse Pacule, para visivelmente nervoso acrescentar: -“Reconhecemos que algumas famílias nas comunidades estão com problemas de insegurança alimentar mas que isso não se pode generalizar. Eu fui claro, que não há zonas onde pessoas estejam a morrer de fome nesta Província”.
Questionado sobre a situação de fome que se reporta em algumas comunidades do distrito de Monapo, Ernesto Pacule disse estar a decorrer um estudo ao nível da base para se apurar a veracidade dos factos postos a circular nas redes sociais.
“Recordem-se que mesmo em tempo de abundância, há registo de desnutrição crónica e isso não significa que a província está a viver momentos de fome”. – Disse a fonte acrescentando que o dia em que a Nampula enfrentar problemas de fome, os jornalistas não terão nenhuma duvida.
Neste momento, no dizer de Ernesto Pacule, o sector que dirige está a distribuir sementes de feijões, milho, ramas de Batata-doce e estacas de mandioqueira em alguns distritos, a serem colocados nos campos de multiplicação, como forma de evitar que nas próximas campanhas ocorram situações semelhantes das que são reportadas um pouco pela província.
Ernesto Pacule falava no término da V Sessão Ordinária do Conselho Executivo Provincial de Nampula, que decorreu ontem, terça-feira, com seis pontos de agenda.
De entre eles o destaque foi para os preparativos de abertura do ano lectivo 2021, apresentação do projecto arquitetónico para construção de monumentos sobre a resistência dos Namarrais a penetração portuguesa, ponto de situação da segurança alimentar, para além do ponto de situação de elaboração e implementação dos planos de ordenamento territorial na Província de Nampula e a proposta da divisão administrativa da Província.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *