JURISTAS EM NAMPULA CONSIDERAM SER PREMATURO A RETOMA DAS AULAS NO PAIS

JURISTAS EM NAMPULA CONSIDERAM SER PREMATURO A RETOMA DAS AULAS NO PAIS

Por Cremildo Alexandre

Na última comunicação a nação que de entre várias medidas o presidente da República de Moçambique Filipe Nyusi, garantiu que vai se retomar as aulas mas de forma faseada começando aulas presencias das 12 classe e o ensino superior.

Desde que esta ideia foi revelada pelo chefe do estado moçambicano, vários actores da sociedade desde, académicos, sociólogos, juristas, pais e encarregados de educação divergem opiniões sobre a retoma faseada das aulas tudo por conta da pandemia do novo coronavírus.

Uns porque não querem perder o ano lectivo, enquanto que outros têm medo da propagação da doença, numa clara alusão de que vale mais prevenir do que remediar.

A divergência na opinião parece ser ignorada pelo sector da educação, que promete  trabalhar no sentido de retomar as aulas presenciais no contexto da pandemia da COVID-19.

Dado o aumento progressivo dos casos do novo coronavírus no país, alguns juristas em Nampula ouvidos pela nossa reportagem consideram que a decisão coloca em risco a vida das pessoas imensamente para as crianças.

As nossas fontes são de opinião que o sector da educação devia dilatar o ano académico para melhor se controlar a propagação da pandemia do novo coronavírus que paralisou com tudo no pais e no mundo.

No que tange aos cultos religiosos as nossas fontes divergem as opiniões, uns defendem que deviam retomar com observância das medidas enquanto outros dizem que não há condições para tal.

Importa recordar que, Nampula continua a ser a província que regista mais casos positivos face a testes realizados, e foi a primeira declarada como a com foco de transmissão comunitária no país pelo sector da saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *