MERCADO DOS BELENENSES INCONFORTÁVEL

MERCADO DOS BELENENSES INCONFORTÁVEL

Por Flávia Calisto

O mercado de peixe nos Belenenses, no bairro de Muhala, está inconfortável devido a lama provocada pela chuva que caiu com muita intensidade durante o fim-de-semana.

Isto veio piorar a situação precária em que vivem os operadores  daquele recinto comercial, que colocam os seus produtos ao ar livre, assim como os utentes que têm dificuldades de encarar o piso lamacento.

Alguns vendedores que falaram a Rádio Encontro, disseram que vivem de mentiras há 5 meses, pois o vereador para a área de mercados e feiras do Conselho Autárquico, prometeu a construção de algumas bancas, o que não passou de promessa falsa.

ʺTivemos a promessa de construção de alpendres antes da época chuvosa, mas até agora não está a acontecer nada.

Com a chuva, a situação está muito mal e a nossa saúde corre  perigo.ʺ

Desabafaram os nossos entrevistados que pedem intervenção de quem de direito, numa clara alusão de que as taxas que eles pagam todos os dias ao Conselho Autárquico, deveriam servir para melhorar as condições do mercado.

O chefe do mercado dos Belenenses, Eugénio Ussene reconhece que a situação vivida naquele mercado é triste e que enfraquece a actividade comercial.

Segundo suas palavras, ʺ já foi prometida pelo Conselho Autárquico da Cidade de Nampula a construção de alpendres para sanar esta situação, mas que ainda as obras não arrancaram e não se conhece a data do seu arranque

Para ele, a reclamação dos operadores daquele mercado é legítima mas acredita que brevemente poderá acontecer alguma intervenção das autoridades municipais.

O mercado dos belenenses é uma referência na cidade de Nampula, para aquisição de peixe fresco e seco, com destaque para Papahi e Nikusi, em quase todas as épocas do ano.

Entretanto, a imundície e a lama tomam conta do recinto comercial em cada época chuvosa, o que periga a saúde dos utentes, numa altura em que as autoridades de saúde fazem apelos no sentido de as comunidades se precaverem das doenças de origem hídrica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *