Mety Gondola insatisfeito com as lacunas da pacificação do país

Por Elísio João
Volvidos 28 anos da assinatura dos acordos de Roma, o Governo Moçambicano não está satisfeito com a situação em que vivem os cidadãos, motivada pelos ataques militares no Centro e terrorismo no norte do Pais.
A insatisfação foi apresentada este domingo, por Mety Oreste Gondola, Secretário de Estado da Província de Nampula, momentos depois da deposição de coroa de flores na praça dos heróis moçambicanos por ocasião do dia da paz em Moçambique, 04 de Outubro.
Mety Gondola disse que fica mais triste ainda por saber que alguns moçambicanos estão a ser usados para desestabilizar o nosso pais, ponto em causa a preservação da paz.
Foi a partir desse sentimento que o Secretário de Estado da província de Nampula implorou ao povo moçambicano para que renove a responsabilidade e compromisso para que a paz volte ao pais e que seja vivida de forma efectiva em todos os ambientes.
“Estamos bastante preocupados com as constantes acções terroristas em Cabo Delgado assim como com os ataques nas províncias de Sofala e Manica que ameaçam a todo o pais” – disse Gondola que por um lado condenou essas acções, mas, por outro reconheceu o trabalho daqueles que muito fizeram e continuam a fazer para a construção e preservação da paz em Moçambique.
Enquanto isso, a Comunidade Sant Egídio recorda que a Paz é um bem precioso e futuro no qual aspira a humanidade.
Américo Sardinha, representante da Comunidade Sant Egídio em Nampula, disse numa mensagem por ocasião dos 28 anos da assinatura dos acordos de Roma, que a paz se for defendida fica esmagada e que não se pode viver numa cultura de confrontos.
Para a Comunidade Sant Egídio, as guerras e a violência estão se alastrando pelo mundo cativando muitos jovens que vivem num vazio de propostas não cumpridas.
“São muitos os países no mundo especialmente em Africa que estão a sofrer por causa das guerras e ataques violentos de grupos armados que estão a deslocar milhões de pessoas, e, a partir deles sobe um grito que é o apelo a paz. É necessário escutar esse grito” – lê-se na Mensagem da Comunidade Sant Egídio, apresentada pelo respectivo representante em Nampula, na passagem dos 28 anos da assinatura dos acordos de Roma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *