Mitos culturais retardam abertura de ficha pre Natal em Rapale

Por Malito João
Algumas mulheres residentes no distrito de Rapale na província de Nampula, afirmam que estão a ter dificuldades de abrir a ficha pré-natal durante gestação, na ausência dos seus maridos.
Segundo algumas mulheres ouvidas pela nossa equipa de reportagem, quando abrem a ficha na ausência dos maridos, correm o risco de serem divorciadas.
Por razões culturais, estamos convencidas que uma mulher grávida não deve abrir ficha pré-natal na ausência do marido” – disse uma entrevistada.
Importa sublinhar que no contexto da assistência integral à saúde da mulher, a assistência pré-natal deve ser organizada para atender às necessidades da população de gestantes, através da utilização dos conhecimentos técnico-científicos existentes nas unidades sanitárias.
Refira-se que para implementar as atividades de normatização do controle pré-natal dirigido às gestantes de baixo risco é necessário dispor de um instrumento que permita identificá-las este objetivo consegue-se ao constatar a presença ou ausência de fatores de risco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *