Munícipes de Nampula enaltecem trabalho do Autarca Paulo Vahanle

Por: Lino Victor

Os Munícipes da Cidade de Nampula estão satisfeitos com o desempenho do Presidente do Conselho Autárquico, Paulo Vahanle, apesar da fraca capacidade de recolha de lixo.

Hortênsio Emílio residente do bairro de Namicopo arredores da Cidade de Nampula, disse aos microfones da Rádio Encontro que actualmente o presidente Vahanle está a fazer um bom trabalho.

No entender de Francisco Marcelino outro munícipe ouvido pela nossa reportagem, o trabalho de Vahanle e como uma bagagem carregada por outro que ninguém sente o peso.

“Há pessoas que dizem que ele não trabalha, mas na realidade, são visíveis os seus feitos, pois vejamos as ruas do pavilhão de desportos, e actualmente estão em curso as obras de asfaltagem da rua de Marrere, e outras vias que já foram inauguradas”. – Anotou o nosso entrevistado

No que concerne a mudanças, Marcelino exige ao Presidente que visite os mercados, pois, segundo ele, existe muita gente com preocupações que devem ser ouvidas.

Outra fonte que louvou o trabalho do Conselho Autárquico, chama-se Mahando Momade, o qual observou que, “anteriormente não trabalhava, mandava os seus homens nos roubar dinheiro, mas actualmente, já esta a fazer o trabalho que outros presidentes não fizeram”.

Momade exigiu ao Município para trabalhar mais, oferecendo mercados aos vendedores próximos à cidade, pois, segundo a fonte, os negociantes não tem um mercado fixo.

Enquanto isso, o académico Gildo Massaua aconselhou ao Presidente a continuar a trabalhar, pois, segundo o nosso entrevistado ele está para o bem do povo.

Massaua acrescentou que, “há muito que fazer, principalmente na pintura dos edifícios da Cidade, oferecer um transporte público condigno, e trabalhar arduamente para a resolução do problema de remoção dos resíduos sólidos em toda parte”.

Sobre o julgamento e condenação de Paulo Vahanle na passada sexta-feira pelo tribunal judicial da Cidade de Nampula, o nosso entrevistado disse que, o tribunal fez o que devia fazer, mas também não fez o que devia fazer, porque, segundo ele, existem processos mal parados que não estão a ser julgados.

A nossa fonte questionou dando exemplo o porquê da suspensão do processo do caso do Edil Mahamudo Amurane já falecido.

O académico aconselhou os tribunais a serem exemplo de justiça, pois, segundo detonou, devemos viver democráticos uma vez que estamos há 45 anos depois da independência.

Recorde-se que, Paulo Vahanle foi condenado a 18 meses de prisão, convertidos em multa, por crime de abuso de puder. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *