Crónica do Dia – NÃO SE BRINCA COM COISAS SÉRIAS

NÃO SE BRINCA COM COISAS SÉRIAS

Por Giovanni Muacua

“Chorem meus olhos, noite e dia, lágrimas sem fim, porque uma grande ruína, uma chaga atroz, tortura a virgem, filha do meu povo” (Jr 14,17). O nosso mundo, a nossa terra, recebeu visita de um inimigo invisível: a Covid-19.

Escolas, igrejas e mesquitas, barracas, discotecas, e outros sítios, com aglomerados populacionais, foram obrigatoriamente encerrados.

O “coronavírus não tem fronteiras”. Ricos e pobres, sábios e inteligentes, analfabetos, políticos e religiosos, brancos e negros, querendo ou não, todos estamos presos. É uma prisão à escala mundial.

Na sequência da covid-19, foram definidas algumas medidas de prevenção, para impedir a sua fácil propagação. De entre elas constam a observação das medidas de higiene, como a lavagem constante das mãos, o uso obrigatório da máscara, em lugares de grandes aglomerados, e o distanciamento social. E o lema continua a ser o mesmo para todos: “ficar em casa”. Sim, medidas difíceis mas necessárias.

De onde vem esse grande inimigo mundial? Quem o trouxe? Será resultado da ira divina diante de muitos corruptos, bandidos, assassinos, aqueles que vendem pessoas e terras? Não sei. Tratar-se-á de fruto de zanga da natureza, diante de exploradores, que só estão interessados em saciar os bolsos sem enxergar o futuro? Não sei. Será um produto do laboratório, obra de homens maus, com “U” maiúsculo, que só querem viver à custa da morte dos outros? Não sei.

Certo é que o coronavirus está entre nós e continua vitimando vidas humanas. Cada dia há refrão: “mais um caso, mais um caso”. Ante esta pandemia mortal, é deveras preocupante ver algumas pessoas que não assumem as medidas de contenção. Pessoas que vivem temendo mais a polícia que a Covid-19. Por que deixar a boca e o nariz ao ar livre? Será porque tais pessoas se julgam mais fortes que o coronavirus?

Lamentável, outrossim, é que essas pessoas quando se fazem ao transporte público falam, riem e tossem na cara das outras, sem o mínimo de responsabilidade social. Estamos brincando com coisas sérias? É deveras importante saber que “O vírus não anda, quem transporta o vírus de um lugar para outro são as pessoas” (PR Filipe Jacinto Nyusi, Comunicado à Nação, 28 de Maio de 2020).

Ora, quem acha que não tem medo de morrer, ao menos tenha medo de matar os outros. Daí que a observância de medidas de precaução é um imperativo para todos. Se brincarmos, o vírus chamboquear-nos-à bem e para valer. A “união faz a força”. Então, unamo-nos, juntos, no combate à propagação da Covid – 19. Quem tem ouvidos, ouça!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *