Crónica do Dia – NUNCA TE ESQUEÇAS DO TEU BERÇO

NUNCA TE ESQUEÇAS DO TEU BERÇO

Por Kant de Voronha

“Toma, pois, cuidado contigo! Guarda-te bem de esquecer os factos que os teus olhos viram; que eles nunca se afastem do teu coração em todos os dias da tua vida. Ensina-os aos teus filhos e aos filhos dos teus filhos” (Dt 4,9) assim diz o livro do Deuteronómio.

Realmente, viver aniquilando o passado é absolutamente viver sem história. Ninguém caiu do céu. Mesmo o Filho de Deus, Jesus Cristo encarnou-se. Assumiu a carne humana para viver no meio de nós.

Todavia, não faltam pessoas que movidas pela indiferença se esquecem do seu berço e fechadas em si vivem iludindo-se a si próprias. Esqueceram aquela floresta que lhes viu nascer. Esqueceram aqueles familiares que lhe suportaram até crescer. Obviamente, tornam-se adversárias do seu próprio passado porque pensam que vivem na abundância de tudo e nada lhes falta. Nesse sentido, o sucesso e a riqueza material tornam-lhes cegos ao ponto de esquecer a sua origem; aniquilam totalmente o seu passado.

São pessoas que se envergonham por nascerem naquela aldeia. Comparam-se aos outros que nasceram na cidade. E pensam que perdem prestígio se forem conhecidos como oriundos de muito longe. Infelizmente não conseguem alterar o nome dos seus pais e da aldeia onde nasceram porque isso foi registado sem o seu consentimento. Estas realidades acarretam consequências avultadas porque a natureza é mãe e mestra. Mas o que te leva a negar a terra que te viu nascer? Certamente que isso não é sem consequências.

É importante educar os filhos para que saibam as origens dos seus antecessores. Leva-los para lá, conhecer aquele vovô que vive numa toca por nossa ingratidão, pele rugosa por falta de alimentação e roupas encardidas por falta de sabão. Nunca lhes damos atenção e esquecemos que o que temos hoje é fruto do seu grande sacrifício. E mais não disse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *