O AMOR CAMUFLADO

O AMOR CAMUFLADO

Por Kant de Voronha

No mundo em que estamos a viver, as tecnologias de informação e comunicação ganham terreno; igualmente as relações humanas se tornam manifestas em meios virtuais. O oculto se revela, o revelado é oculto.

Nessas circunstâncias vemos muitos jovens que se dizem casados ou namorados mas que nunca apresentam a cara do seu parceiro ou parceira. Porque viver um amor escondido? Não se assumem? Não se amam? O que temem? O que escondem? Será porque apenas amam o bolso dele? Ou estão a fazer roubalheira na machamba alheia? (Risos)

Jesus nos ensina que “Ninguém acende uma lâmpada para a cobrir com um vaso ou para a esconder debaixo da cama; mas coloca-a no candelabro, para que vejam a luz aqueles que entram. Porque não há coisa oculta que não venha a manifestar-se, nem escondida que não se saiba e venha à luz” (Lc 8,16-17).

Se o vosso amor arde ele deve ser manifesto. O amor é uma força muito poderosa que liga pessoas e as faz felizes. É mais que uma emoção ou um sentimento. Pode crescer de uma afeição natural por alguém ou de uma decisão de amar outra pessoa. O amor é uma característica de Deus.

O amor é diferente da paixão. A paixão é um sentimento que passa mas o amor é duradouro. O amor é a base sobre a qual todos os nossos relacionamentos devem ser construídos. O amor une pessoas de maneira especial. O outro deixa de ser um objecto para usar e se torna numa pessoa importante, que merece carinho. Quem ama quer o bem da pessoa amada, se preocupa com ela, quer passar tempo com ela.

A Bíblia diz que Deus é amor. O amor de Deus é perfeito e incondicional. Deus ama toda a gente em todo o tempo. Deus nunca para de nos amar, não importa o que fazemos. O verdadeiro amor vem de Deus. Quem ama a Deus também ama outras pessoas (1João 4,19-21). Esse amor não vem de uma afeição natural pelas pessoas que amamos mas é resultado do amor de Deus em nós. Podemos decidir amar as pessoas, só porque são pessoas, tal como Deus faz. “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece” (1Coríntios 13,4-8). E mais não disse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *