Crónica do Dia – O DIA DA CRIANÇA AFRICANA

O DIA DA CRIANÇA AFRICANA

Por Kant de Voronha

Há pais e educadores africanos que continuam a violar os direitos das crianças? Há sim. Algumas pessoas julgam que falar a língua materna como pode ser Emakhuwa, Lomwé, Maconde, etc é submeter-se a ser inferior e sem valor. Pois, a única língua perfeita e superior é o português. Por isso, crianças há que são obrigadas a todo custo a falar apenas o português. De contrário são submetidas a castigos intermináveis. São insultadas, batidas, privadas de comer, etc.

Ora, a 16 de Junho de cada ano comemoramos o Dia da Criança Africana. Pois, a história reza que em 1976, em Soweto, África do Sul, milhares de crianças em idade escolar saíram às ruas para protestar contra a qualidade inferior de sua educação e exigir o direito de aprender em sua própria língua. Por isso, a actual União Africana criou em 1991 o Dia Internacional da Criança Africana, que além de homenagear as vítimas desse massacre, serve também como um alerta para a violação dos direitos das crianças do continente africano.

Nos últimos anos, vários países introduziram mecanismos de proteção social. Contudo, a pobreza, os conflitos armados, o HIV Sida, bem como a violência doméstica e a exploração têm forçado mais e mais crianças a deixar suas casas para viver e trabalhar nas ruas.

Algumas delas são forçadas a crescer por conta própria, com limitado ou nenhum apoio de adultos. Ainda hoje, devido a minoria rica, os privilegiados com melhor educação, emprego e consequentemente melhor qualidade de vida é uma pequena elite. A maioria da população vive em condições precárias e sofre todo o tipo de descriminação e injustiças sociais. Em Moçambique as crianças são forçadas a passar de classe mesmo sem saber ler nem escrever o seu próprio nome. Querem aumentar o número de analfabetos de modo a perpetuar a exploração dos pobres sem reclamação nem exigências.

Como garantir que as crianças do nosso país aprendam na sua própria língua? Que tipo de adultos esperamos neste país? Mutilados e sem cultura? Analfabetos e sem escolaridade? “Educai as crianças hoje para não ter que punir os adultos de amanhã” (Pitágoras). E mais não disse

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *