O Gabinete Provincial de Combate a Corrupção de Nampula nega ter desistido do caso Vahanle

Por Pedro Cusse

Vahanle era acusado de desvio de fundos, que supostamente o governo central teria injectado para fazer jus ao programa de alívio a pobreza urbana, PERPU 2018-2019.

Isto fez com que várias auditorias fossem realizadas pelos ministérios das Finanças e de Administração Estatal.

Naltura o Presidente do município de Nampula, Paulo Vahanle, não escondeu o seu descontentamento em volta das acusações nas quais era apontado como cabecilha de um sistema corrupto de desvio de fundos do seu município.

Estou a ser perseguido por ser da oposição, quando eu entrei nesta cadeira sabia que era herdeiro de cargo de um assassinado,() como vão fazer auditoria de um dinheiro que nem sequer entrou nos cofres do município eu não desviei nenhum fundo porque o município de Nampula não recebeu dinheiro do PERPU 2018- 2019. Agora se querem-me matar venham-me matar” disse Paulo Vahanle de forma incisiva.

No princípio da semana finda, circularam informações que davam conta que o Gabinete Provincial de Combate a Corrupção de Nampula desistiu do caso Vahanle, pois não reunia provas que incriminassem efectivamente o presidente do crime no qual é acusado de desviar fundos que serviriam para ajudar a reduzir a pobreza urbana.

O gabinete de combate a corrupção em Nampula na pessoa do seu porta-voz, José Sopa, disse que o gabinete não desistiu do processo que envolve Paulo Vahanle, mas que depois das denúncias e as auditorias realizadas pelos ministérios constatou-se que Paulo Vahanle não desviou nenhum fundo uma vez que o governo central depositava os referidos valores a mais de 2 anos.

Se a memória não me falha, existem 3 processos ou mais, mas há um que foi muito falado que está relacionado com o balcão único – BAÚ este processo por exemplo está em curso. Entretanto, ficou de alguma forma estagnado porque estamos a espera do relatório de auditoria financeira que foi realizada. Até neste momento nós não sabemos o que está nesse relatório e que dia este relatório vai chegar nas nossas mãos. É este relatório que vai determinar qual é a via do processo. (…) Neste processo nós temos pessoas presas” esclareceu Sopa pedindo a paciência daqueles que sonham ver morta a sua sede de justiça pois “acontecem normalmente dentro da lei porque não se pode inventar“.

Nós não desistimos do caso Vahanle porque nunca desistimos do nosso trabalho. O que devo dizer é que tudo que as pessoas sabem que aconteceu no município está em processamento e está a seguir o seu termo” esclareceu o porta-voz do Gabinete da Província de Combate a Corrupção em Nampula o qual tranquilizou as pessoas ávidas de justiça alegando que não houve desistência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *