O Ministério dos Transportes e comunicações investe mais de 300 mil dólares para manutenção de diversas infraestruturas na província de Nampula

Falando esta quinta-feira em Nampula, o Ministro dos transportes e Comunicações Janfar Abdulai disse que de entre as infraestruturas em manutenção, o destaque vai para o Porto de Nacala.

Com a ampliação e modernização do Porto de Nacala, no dizer da nossa fonte, pretende-se que aquele, seja um ponto de referencia dos transportes marítimos que facilita o acesso ao mercado internacional.  

Uma parte desse valor, segundo Janfar Abdulai, está a ser usado na reabilitação da linha férrea que liga o porto de Nacala e os países do interland.

A fonte, disse que o governo moçambicano decidiu  investir na reabilitação e modernização do porto de Nacala por reconhecer a importância estratégica dessa infra estrutura pelo seu grande potencial de manuseamento e armazenamento de carga.

Até segundo semestre do próximo ano, altura em que serão concluídas as obras de reabilitação, no dizer do Ministro dos transportes e comunicações, o Porto de Nacala poderá aumentar a capacidade de manuseamento.

O governo Moçambicano recebeu em forma de donativo do Banco Mundial, em Abril deste ano, 230 milhões de dólares para a construção de estradas rurais alimentadoras do corredor de Nacala e criação de fronteiras de passagem única. – Revelou o Ministro dos transportes e Comunicações.  

Janfar Abdulai partilhou essa informação no decurso da cerimónia de inauguração da TV Muniga na cidade de Nampula, havida esta quinta feira, 18 de Outubro.

Foi nessa cerimónia onde o representante da CTA reconheceu que os Órgãos de Comunicação Social são fundamentais para que um estado democrático seja cada vez mais forte no processo de atracão de investimentos nacionais e internacionais. Por seu turno, o secretário de estado da Província de Nampula Mety Gondola, parabenizou aquele canal televisivo e apelou no sentido de discutir e partilhar informações úteis e corretas, olhando para a desnutrição crónica, a malária e a cólera, como desafios para a população desta província, sem deixar de lado o terrorismo em Cabo Delgado e a promoção da nossa cultura.

Por Amélia Augusto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *