Crónica do Dia – ONDE ESTÁ O MEU EMPREGO?

Ori wowi muteko aka?

Por Florêncio Alfredo

A procura de emprego por parte dos jovens moçambicanos, na sua maioria recém-graduados, tem sido maior. Pois, os actuais níveis de desemprego no país agravam-se a cada novo amanhecer. A Covid-19 veio agravar a situação com o despedimento de muitos jovens que já estavam trabalhando em várias empresas.

Nos dias que correm, muitos jovens debatem-se com a problemática do desemprego, carecem do básico para a sua sobrevivência e, assim, acabam mergulhados na miséria.

Ter emprego é um dos assuntos que não passa da moda para qualquer um que almeja o bem-estar de si e da sua família. O emprego ajuda as pessoas a serem autónomas e traçarem os seus planos de vida com o que auferem.

Em Moçambique, falar de emprego tem sido um calcanhar de Aquiles. Muitos jovens graduados em diferentes áreas profissionais ficam 7 a 10 anos sem conseguir emprego remunerável. Esta dura realidade, faz com que encontremos sempre alguns a passar a classe dentro da cidade com os certificados na mão a procura de emprego, de porta em porta, de instituição para outra.

Durante o processo eleitoral, os partidos políticos têm cantado a música de empregar os jovens. A última campanha não foi excepção. Vimos jovens que transpiravam, gritavam até mostrar onde nasce a língua lá no fundo da boca. Carregavam em seus corações, a esperança de serem empregados. Aliás, nessa altura falava-se de pouco mais de 3.000.000 postos de emprego. Até agora não se sabe ao certo quantos jovens foram abrangidos por essa promessa. A cada novo dia cresce vertiginosamente o número dos sem comida nem moradia. Debulhamos juntos o ar quente do desespero.

Sem direcção certa a seguir, com espumas de cansaço na boca, alguns perguntam: será que terei o meu emprego? Porque estou condenado a viver na miséria toda minha vida?

Diz-se na gíria popular que a um leproso não se promete sapatos. É necessário que não cruzemos os braços. As lições de trabalho, as teorias e práticas aprendidas no tempo de formação devem ser aplicadas, agora no terreno, para empreender alguma iniciativa lucrativa. É verdade que quem promete, deve. Estou a espera do meu emprego!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *