Oposição em Nampula acusa a edilidade de vender espaços públicos

Por césar Rafael

Jogo de acusações e fugas de culpa ditam o encerramento da realização da primeira sessão ordinária da assembleia municipal de Nampula.

Tudo começa quando a bancada da Frelimo, acusa a edilidade de emitir licenças para construção de obras em locais impróprios. Em plena sessão a bancada da Frelimo apresentou licenças que supostamente comprovavam a autorização de construção de obras em locais não aconselháveis, contrariando no entanto, o vereador que negava a existência das famosas obras. Como prova, a bancada apresentou uma licença pertencente a um proprietário, cuja licença de construção tem o numero 2988, sob processo numero 734, licença no 1045, emitida em 26­/06/2020 com prazo de validade até ao dia 26/06/2022, a qual foi assinada pelo proprietário e pelo presidente do Município de Nampula, Paulo Vahanle. Segundo a bancada parlamentar da Frelimo, as obras decorrem na meia via, para quem vai ao posto administrativo de Muhala, proporcionando momentos desagradáveis aos munícipes pois, partilham a mesma rua com os resíduos sólidos. “Eu não estou a falar coisas de mentira”. Disse o chefe da bancada.

Abancada do MDM, acusa também a edilidade de venda de espaços públicos, tendo apelidado o vereador do pelouro das obras por arrogante pois, nada quer esclarecer sobre o caso. “Detectamos algumas questões relacionadas com a venda de espaços públicos nesta cidade, pelo que, pedimos que isso seja corrigido o mais breve. Isso acontece em toda cintura da cidade. É a razão que fez com que apresentássemos esta questão a assembleia Municipal nesta sessão, pois, nós estamos aqui para tratar assuntos pontuais dos munícipes de Nampula”. Disse Ayupa Epuramo Nacozeira, membro do MDM.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *