Os heróis continuarão a viver nos nossos corações para enfrentar os desafios de hoje

Porː Felismino Leonardo

Assinalou-se esta ter-a feira,(03), o dia dos heróis Moçambicanos.

Em Nampula, a data foi caracterizada por uma cerimónia de deposição de  uma coroa de flores na praça dos heróis moçambicanos e condecoração de 100 combatentes de luta de Libertação Nacional.

Manuel Rogdrigues, Governador da provincia de Nampula, falando a jornalistas  após a deposição da coroa de flores, disse que esta data simboliza para os moçambicanos,  uma determinação, no reconhecimento da independência de Moçambique.

Rodrigues  disse por outro lado  que deve  ser desafio  de todos,  o engajamento  para um bem comum  para o desenvolvimento  do país.

Para tal, segundo o governador  de Nampula,  o calar das armas na vizinha provincia de Cabo Delgado  e a consolidacao da paz deve ser agenda de todos os moçambicanos.

ʺOs nossos herois são os que continuarão a viver nos nossos corações para podermos enfrentar os desafios de hoje” disse Manuel Rodrigues acrescentando que “temos desafios que precisam um esforço adicional a semelhança do que foi em relação aos nossos heróis que sacrificaram suas vidas. Nós temos que nos sacrificar para salvar as vidas neste momento da pandemia de covid-19ʺ frisou Rodrigues.

Por seu turno, o Secretário de Esatado da Provincia de Nampula, Mety Gondola, disse   que  esta data  acontece numa altura em que  o nosso país se  depara  de uma situaçāo  desastrosa  por conta da pandemia de  coronavirus.

Gondola  recordou que  é responsablidade de todos  a revisão  da paz  olhando pela desistabilização que o nosso país  está a passar.

A fonte disse ainda que  o 3 de fevereiro  deve nos recordar  a luta que temos contra  os ataques  terroristas  na provincia de Cabo Delgado de forma que nāo venha afectar a nossa provincia.

ʺO 3 de Fevereiro é um dia que nos remete a um processo de reflexão da nossa existência e olhar aqueles que muito fizeram para o nosso país e ajudaram a construir. Assinalamos esta data infelizmente e continuamos com actos de vandalismo nas provincias de Manica e Sofala, e o terrorismo em Cabo Delgado ʺlamentou o representante do Chefe do Estado moçambicano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *