Presidente do AMUSI considerado como enfermidade dentro da organização

Por Elísio João

Alguns membros fundadores do Partido Acção do Movimento Unido para Salvação Integral-AMUSI, consideram o presidente dessa formação politica, Mário Albino, como uma ʺenfermidadeʺ dentro da organização.

Esses Membros que se sentem lesados pela má liderança de Mário Albino, já criaram uma comissão representativa, a qual emitiu uma impugnação que apelidaram de ʺgrito da voz dos sem vozʺ.

Nessa carta, em puder da Rádio Encontro, eles exprimem o seu sentimento por um lado e por outro, replicam o programa de realização do primeiro congresso do partido AMUSI, em Novembro próximo, anunciado por Mário Albino, por alegadamente não haver condições para tal.

Referem na carta que o objectivo não é difamar, caluniar ou denegrir ninguém, pelo contrário, querem que sirva de uma informação e esclarecimento da habitual atitude orgulhosa, arrogante, vaidosa, demagógica e injusta de Mário Albino.

Esta atitude, segundo referem, permitiu e facilitou a existência no partido AMUSI, de dois grupos controversos, sendo que o primeiro quer fazer do membro do partido, Mão-de-obra barata, para satisfazer seus interesses obscuros e pessoais, distrair os membros do AMUSI com mensagens enganadoras até as festas eleitorais, para além de defender uma politica autocentrada, onde se exerce o poder politico que impõe rapidamente através da força, da humilhação, da intimidação, das ameaças, difamações, ofensas morais, desrespeito e tratamento cruel de membros.

Enquanto isso, o segundo grupo aposta para a salvação e defesa dos interesses sociais, económicos e políticos de todos os membros do partido AMUSI, defende o reconhecimento e valorização da entrega, do sacrifício, sofrimento e contributo de todos os membros do AMUSI e ainda defende a promoção da justiça e da paz.

A carta em nosso poder, e que temos vindo a citar, refere ainda que o Partido AMUSI é fruto do sonho comum da voz dos sem voz, cujo berço é a província de Nampula e não nasceu para ofender outros partidos políticos emergentes em Moçambique, e não tem princípios de lideres vitalícios, mesmo manifestando atitudes egoístas.

Essas e outras situações, lê-se na carta, fazem de Mário Albino, um líder que faz politica usando a esperteza.

ʺSendo assim, a comissão representativa de Membros lesados do Partido AMUSI impugna o anúncio da realização do primeiro Congresso desse partido e insiste a realização do diálogo com vista a diri

ʺO Senhor Mário Albino saiba que em Moçambique, o único meio mais civilizado, aconselhável e compatível, com a nossa realidade, num estado de direito democrático é o diálogo. Um diálogo ordeiro, que respeita as normas legais e sem existência de quem ameaça e domina, e quem é ameaçado e dominado, mas uma relação entre pessoas com a mesma dignidade de moçambicanidadeʺ. – referiu, sublinhando que não vai parar até as últimas consequências.

ʺNão vamos parar sem resgatar o partido AMUSI que se encontra nas mãos dos desumanos, infiéis e injustos, sem tornar o Partido num verdadeiro barco de salvação do povo moçambicano, que constitui sonho e esperança dos fundadores e dos difusores desta organização politica e sem transformar o partido AMUSI, num verdadeiro escudo de defesa da voz dos sem voz. Não será fácil mas também não será impossívelʺ.- promete a carta da comissão, assinada por 32 Membros, liderados por Francisco Jamal Intata.

Questionado se existem motivos suficientes para acusar o Presidente do AMUSI segundo o arrolado na carta, Francisco Ntata disse, apontando a Mário Albino, como um líder injusto que não está para responder as expectativas e sonhos dessa formação política.

Nesta quarta-feira, a comissão representativa dos membros lesados do partido AMUSI, estava reunida numa residência no bairro de Mutauanha, num encontro no qual indicaram Orlando Lúcio Valentim, para porta-voz.

Falando a jornalistas, Orlando Valentim disse que Mário Albino constitui uma enfermidade dentro do Partido AMUSI, ao querer privatizar o Partido.

ʺO Senhor Mário Albino não pode pensar que nós somos palhaços. Ouvimos que ele pretende realizar um congresso ʺcavernaʺ, porque não é possível acontecer um congresso no seu verdadeiro sentido sem a participação dos membros fundadores do partidoʺ. – disse Valentim acrescentando que o grupo está disponível a um diálogo para resolver o problema dentro do partido, porque caso contrário, esse congresso poderá não acontecer, porque nós todos sofremos e estamos a trazer a mesma dor.

Pedido a reagir as acusações que pesam sobre si, Mário Albino, Presidente do AMUSI, voltou a menosprezar a Comissão representativa e disse que o partido tem estatutos e as pessoas deveriam os ler.

ʺVolto a dizer que são indivíduos contratados para destruir o AMUSI mas não vão conseguir. Agora têm tempo de criar o partido deles e podem fazer issoʺ. – reagiu Mário Albino, explicando que estava na Renamo e quando não concordou com os ideais de lá foi para outro partido.

Mário Albino afirma de pés juntos que nenhum dos que fazem parte da Comissão representativa promoveram o partido AMUSI, não obstante um, que concorreu uma vez como cabeça de lista desse partido.

Num outro desenvolvimento, o presidente dessa força política Mário Albino garantir que o congresso vai ter lugar no próximo mês, mesmo com essa turbulência.

Porém, não disse se estaria disponível ou não para dialogar com a Comissão representativa dos membros lesados do AMUSI, antes da realização desse congresso.

ʺNeste momento estou preocupado com o congresso, eles não fazem parte e querem nos atrapalhar. Eu como pessoa tenho minha agenda de trabalho e eles não podem me impor. Eu trabalho com leis e gosto de respeita-las, se não estivesse a fazer isso, esse partido não existiria até hoje” – disse Mário Albino que ao telefone, pediu ao repórter desta estação emissora para informar à comissão representativa o que passo a citar –ʺ Nós estamos a negociar com eles. Acabouʺ. – fim de citação.

ʺMas Porque não fazem partido deles para irem buscar o dinheiro se acham que é fácilʺ… Desabafou o presidente do AMUSI exortando que caso pretendam interferir durante o congresso, será usada a lei que está clara – ʺcada partido pode fazer suas reuniões livrementeʺ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *