Produtoras do Programa infantil munidos de ferramentas para combate as uniões prematuras

Por César Rafael

Terminou sábado último na cidade de Nampula, a formação do grupo editorial dos programas a voz da criança que decorreu de 15 a 17 do corrente mês.

Luísa Mário, formadora da rede dos formadores do Fórum das Rádios Comunitárias – FORCOM, que se mostrou satisfeita no final da formação motivada pelo empenho dos jovens e adolescentes formandos, disse que estes saíram dotados de conhecimentos e mostrou-se confiante com o nível de percepção das matérias arroladas no concernente a prevenção das uniões prematuras e de violação contra os menores.

O balanço dos três dias de formação foi positivo, as crianças aprenderam várias matérias sobre a prevenção e combate as uniões prematuras que foi o prato principal da nossa formação, aprenderam isso tudo, porque tinham que ser elas como produtoras de programas para poder saber comunicar àquelas outras crianças que estão lá nas comunidades” disse a nossa fonte.

Acrescentou que com a formação, o grupo editorial está preparado para difundir as mensagens de prevenção e combate às uniões prematuras através de programas radiofónicos como forma de mitigar estes males que enfermam aquela camada social.

Luísa Mário apelou às crianças para continuarem a produzir os programas radiofónicos, porque, segundo observou, é através delas que as outras aprendem.

Por seu turno, os formandos manifestaram a sua gratidão e prometeram dar réplica do aprendizado através da produção de programas radiofónicos virados para jovens e adolescentes e comunidade em geral de forma a combater as uniões prematuras e outros males que afectam sobretudo os menores.

Neusa Momade Pedro disse que “A formação foi muito boa, me senti a vontade pela graça de Deus. Aprendi muita coisa como fazer programa, como lidar com as comunidades e muito mais. Daqui em diante estarei a fazer mais programas. Ainda não me sinto muito preparada como sendo o meu primeiro ano mas, vou fazer todo meu esforço para puder enfrentar mais. Prometo fazer todo meu esforço para dar réplica do que aprendi“.

ʺDurante a formação me senti bem, a formação foi muito boa, deu para aprender muito como fazer programas e muita coisa boa que aconteceu aqui. Daqui para adiante, só aperfeiçoar mais o que aprendemos para que consigamos fazer programas que os ouvintes possam gostar. Nós na nossa formação aprendemos sobre a prevenção das uniões prematuras, quais as consequências dessas uniões, consequências das violações contra crianças, contra direitos da criança, que nem sabíamos que eram violações. A partir desse aprendizado vou explicar aos outros a não terem pressa de casar e, a abraçar os estudos porque o nosso futuro também depende de nós por um ladoʺ – disse Justência Francisco.

Leonora dos Santos disse que se sentiu bem e muito agradecida. ʺAprendi muita coisa, uma delas como lidar com os programas, como falar, como evitar e combater os casamentos prematuros. Prometo ensinar aos outros o que aprendi

Enquanto que Esménia Fernando Félix disse o que passamos a citar ʺ Me sinto muito bem depois da formação porque pude aprender algo que eu não sabia, como por exemplo, eu não sabia que os casamentos prematuros e a violação de menores constituem crime. Prometo produzir programas sobre estes males e, difundir para também ensinar as crianças e outras pessoas que não sabem tudo isto” – fim de citação.

Filomena Maloa Carlos agradeceu a oportunidade que o FORCOM deu. “Aprendi muita coisa, como apresentar um programa, como tratar os colegas, como estar durante um programa. Vi que tenho que melhorar alguns defeitos que eu tinha ao apresentar um programa e daqui em diante prometo melhorar tudo e, prometo também dar réplica daquilo que aprendi por via de produção de programas radiofónicos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *