QUEIMARAM A MINHA CASA E FIQUEI DESGRAÇADO

QUEIMARAM A MINHA CASA E FIQUEI DESGRAÇADO

Por Florêncio Alfredo

Deslocados de Cabo Delgado mostram-se agoniados pelo facto de os insurgentes estarem a matar pessoas inocentes e a sequestrar raparigas às suas bases com objectivo obscuro.

A inquietação foi manifestada por alguns deslocados de guerra de Cabo Delgado que se encontram acolhidos na Unidade Comunal de Mototope, bairro de Muahivire, cidade de Nampula, durante um encontro que serviu para a distribuição de Produtos alimentares oferecidos pela Comissão Episcopal para migrantes, refugiados e deslocados em coordenação com a Caritas e a paróquia de são Francisco Xavier.

Alguns deles que falaram em exclusivo a Rádio Encontro recordaram que a situação que se vive em Cabo Delgado é lastimável, visto que quando os supostos insurgentes chegam a uma comunidade ateiam fogo as casas e em seguida decapitam as pessoas.

É por conta destas situações que acontecem sob um olhar impávido das Autoridades Governamentais em Moçambique que obriga aos lesados a procurarem um refúgio em diferentes pontos do país.

“Queimaram a minha casa, perdi tudo que tinha, estou longe da minha casa por motivos da guerra e sem tecto para repousar, estou na minha maior desgraça”, avançou uma das nossas interlocutoras mostrando-se preocupada com o cenário que se vive na província de Cabo Delgado.

Apesar das adversidades que têm vindo a acontecer em Cabo Delgado aqueles deslocados agradeceram o gesto que a igreja Católica vem empreendendo ao nível da Arquidiocese de Nampula.

Padre Arlain Pierre falando à nossa equipa de reportagem durante a oferta dos diversos produtos alimentares e de higiene, referiu que a dádiva é fruto de contribuição de pessoas de boa vontade com intuito de ajudar aos deslocados por se tratar de uma camada social que se encontra carenciada de tudo.

Para a irmã Cleonice da paróquia São Francisco Xavier, coadjuvar aquelas pessoas é bem-vindo por parte da igreja católica, uma vez que os alimentos ora doados vão garantir para o bem-estar delas.

De referir que a maioria dos deslocados de Guerra em Cabo Delgado são Mulheres e crianças.

No prosseguimento dessa actividade humanitária, a Comissão da Caritas procedeu esta terça-feira a distribuição de vários bens incluindo baldes, esteiras, mantas, capulanas, enxadas e sabão a mais de 375 deslocados que se encontram acomodados na Paróquia de Anchilo, Posto Administrativo do distrito de Nampula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *