SERNIC RECEBEU MAIS DE 7 000 PROCESSOS EM NAMPULA

SERNIC RECEBEU MAIS DE 7 000 PROCESSOS EM NAMPULA

Por Santos Conta

Mais de sete mil processos deram entrada no Serviço Nacional de Investigação Criminal – SERNIC em Nampula no ano passado.

Trata-se de processos acusados de prática de vários tipos de crime com destaque para o de branqueamento de capitais, venda e consumo de drogas ao nível da Província de Nampula.

Estes dados foram revelados por David Arsénio David, Director provincial do SERNIC que falava aquando da saudação do Governador Provincial no seu gabinete de trabalho, por ocasião da comemoração dos 3 anos da existência da sua agremiação.

David disse que dos sete mil casos que deram entrada no seu gabinete, cerca de quatro mil foram esclarecidos daí que, faz um balanço positivo dos 3 anos da existência do SERNIC.

Fez crer que no período em alusão, o SERNIC notabilizou-se na melhoria das técnicas de investigação.

Na ocasião aquele dirigente prometeu continuar a trabalhar arduamente para melhor esclarecer os casos de crime organizado que assola a província de Nampula.

“Em colaboração com outras Forças de Defesa e Segurança e com o Ministério Público, vamos de forma estreita, privilegiar o combate de matérias relacionadas com os crimes de branqueamento de capitais e combate a droga, que são os nossos grandes desafios”, – disse o director Provincial do SERNIC em Nampula.

Por sua vez, o governador da Província de Nampula, Victor Manuel Borges, enalteceu o SERNIC pela entrega e dedicação que a corporação tem prestado para o esclarecimento dos casos de crimes através de investigação para trazer a verdade dos factos.

Recorde-se que o Presidente da República exonerou ontem, Victor Borges do cargo de Governador de Nampula, incluindo todos os governadores das outras Províncias do país em virtude da tomada de posse do novo elenco do Governo nacional.

Importa referir que, o Serviço Nacional de Investigação Nacional foi criado no dia 9 de Janeiro de 2017, pela lei número 2/2017 de 09 de Janeiro, extinguindo assim a Polícia de Investigação Criminal, PIC.

O objectivo da sua criação é responder com eficácia os desafios de prevenção, investigação criminal e da instrução preparatório de processos-crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *