CRÓNICA DO DIA – TENHO MEDO MORRER DE FOME

TENHO MEDO DE MORRER DE FOME

Por Isac Velica

A humanidade vive hoje uma fase nova da sua história, na qual profundas e rápidas transformações levadas a cabo pela praga de Coronavirus se estendem progressivamente em toda a terra. A tomada de medidas de prevenção é de carácter imperativa para todos, para que a espécie humana não se extinga imediatamente.

Em prol dessa situação, os taxistas de mota e os vendedores de vária ordem são advertidos de modo a que limitem os seus trabalhos. Porém, é triste notar que alguns têm muito medo de morrer de fome do que de coronavirus. Tanto é que persistem nas ruas todos os dias carregando pessoas dum lado ao outro e trocando várias impressões de tactos. A justificação de muitos consiste em que vão morrer de fome se deixarem de fazer taxi ou vender, pois este é o seu único meio de sobrevivência. Ufff!

Estamos dentro dum dilema: o homem precisa de comer para continuar a viver, mas também a vida declinará quando o coronavirus tomar conta do organismo humano. É claro que a fome e o coronavirus, ambos  podem nos levar a morte; mas precisamos de um julgamento de quem nos leva primeiro.

Deste modo, considerando a rápida propagação do Covid-19 e as proporções que atingiu até hoje, vem às claras que não temos escolha, se bem que queremos salvar o nosso povo e o mundo. A fome é sim uma realidade, mas ela não se transmite num simples pegar dum copo, ou num abraço, ou saudação, etc. Entretanto, o Covid-19 é um virus muito veloz que percorre grandes distâncias, sepultando muitos organismos humanos.

Portanto, a preservação da saúde individual é uma contribuição vertiginosa para preservação da saúde colectiva. Aguentemos a quarentena e, assim, salvaremos a espécie humana. Lembre-se: todos somos combatentes do Covid-19!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *