Um total de 330 Certificados falsos foram flagrados na fila de concorrentes a vaga de docência em Nampula

A informação foi revelada ontem por Cipriano Albino inspetor chefe na direção Provincial da Educação em Nampula.

A nossa fonte afirmou que trabalhos estão a ser feitos com vista a descobrir mais irregularidades que apoquentam aquele sector.

Cipriano disse que a exibição desses falsos Certificados constata-se frequentemente em algumas instituições de Saúde e outros estabelecimentos, facto que continua a preocupar o departamento da Educação  na província de Nampula.

Cipriano explicou que os malfeitores usam instrumentos informáticos para falsificarem documentos, facto que pode pôr em risco a qualidade de educação no país.

“Confirmamos os certificados para verifiar se o individuo está habilitado para a vaga que concorre e foi por isso que descobrimos que havia pessoas que pretendiam entrar na educação fraudulentamente” – esclareceu o Inspetor chefe Provincial.

Por seu turno, o chefe do executivo provincial de Nampula Manuel Rodriguês apela a comunidade a dar ponto final a prática desse crime de falsificação de documentos que desconforta o papel da educação.

Por outro lado, Rodriguês fez saber que a maior parte dos Certificados falsos é proveniente das províncias de Cabo -Delgado e Zambézia, onde os cidadãos pensam que serão desconhecidos.

O governador de Nampula desafiou aos inspectores do sector de educação a fazerem o seu papel com zelo e dedicação, numa clara alusão de que devem conhecer as suas obrigações.

“Os inspectores devem saber porque é que estão aqui e não deixarem que tudo esteja a andar como está” – disse Manuel Rodrigues Governador da Província de Nampula falando ontem, terça- feira, na direção provincial da Educação e mostrando-se preocupado com a existência de pessoas de má fé que falsificam documentos.

Importa sublinhar que segundo Rodrigues, dar aula é uma missão nobre em que não se pode admitir infiltrados tendo em conta que o governo está preocupado com a qualidade de educação no país.

Por Malito João

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *