Utentes dos chapa-100 reclamam degradação dos acentos no interior de algumas viaturas

Por: João Baptista
O parque automóvel na cidade de Nampula tende aumentar nos últimos tempos, e na sua maioria são minibuses de transporte semicolectivo de passageiro que circulam nas rotas de Muahivire, Waresta, Subestação, Muhala-expansão, Memória e vice-versa.
A maioria deles não reúne condições para a prática da actividade de transporte de passageiros havendo a necessidade de uma reação das autoridades competentes.
A Rádio Encontro saiu a rua para viver de perto a situação dos chapas urbanos, tendo verificado que alguns praticam a actividade com vidros partidos, assentos danificados, uma destruição total no interior de algumas viaturas.
Alguns utentes de chapas que falaram aos nossos microfones relatam alguns episódios que vivem no seu dia-a-dia.
“Eu sai de casa com a roupa bem engomada para ir ao registo , mas a minha saia rasgou-se no Chapa” – disse uma entrevistada que exige aos proprietários dos semicolectivos para que revejam a situação.
Os cobradores e motoristas lançam a culpa para os proprietários das viaturas, alegando que estes problemas surgem porque os seus patrões não se preocupam com a manutenção das viaturas, facto que leva a degradação dos acentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *